Adestramento de Cães de Guarda em Blumenau SC - Centro Canino WalkerDog

Título: Centro Canino WalkerDog - Adestramento de Cães de Guarda
Criado em 25/05/2017 - Publicado em - Atualizado em 23/09/2021
Centro Canino WalkerDog
Centro Canino WalkerDog

Centro Canino WalkerDog - Adestramento de Cães de Guarda em Blumenau SC


Adestramento de Cães centro canino walkerdog Está precisando adestrar seu cão para guarda e mora em Blumenau SC? Conheça o Centro Canino Walker Dog.

Com a crescente violência, o despreparo da segurança pública e privada, estamos cada vez mais desprotegidos.

Cães são auxilios indispensáveis na segurança, não temendo arma de fogo, não aceitando suborno e treinado são poderosos guardiões contra invasores. Veja como um cão pode proteger sua família

O WalkerDog Escola de Adestramento oferece aos seus clientes e amigos um moderno método de adestramento de cães.

Seu cão aprende um jeito positivo e alegre, com resultados impressionantes. Nós trabalhamos com qualquer raça ou idade e preparamos cães para variadas modalidades e situações.

Contamos com uma equipe altamente qualificada e um amplo espaço para melhor receber nossos hóspedes. O melhor time, para seu “melhor amigo”.

Dados para contato e localização do Centro Canino Walker Dog - Adestramento de Cães em Blumenau Santa Catarina

Adestramento de Cães de Guarda em Blumenau Santa Catarina
Cidade: Blumenau
Estado - País: Santa Catarina - BRA
Telefone: (51) 99761-3537 e (51) 99914-2232
Email : thabatanunes.adestramento@gmail.com
Url:

O que é adestramento canino?

Adestrar é treinar para que fique hábil para realizar determinado trabalho ou ação.

No adestramento canino, são ensinados "comandos" ao cão, que passa a responder a determinadas palavras ou gestos através de comportamentos e/ou movimentos específicos. Aos donos é ensinado como proceder na execução dos comandos para ser atendido prontamente pelo cão. Através desta melhora da comunicação entre humano e cão consegue-se um resultado surpreendente no relacionamento entre ambos, tornando a convivência tranquila, saudável e prazerosa.

No CCWD trabalhamos com adestramento de cães em Obediência, Proteção e Guarda, Recusa de Alimentos ou Anti-envenenamento e Resolução de Problemas Comportamentais.

Serviço de Adestramento Canino de Proteção e Guarda em Blumenau SC

ADESTRAMENTO DE CÃO DE GUARDA DE PERÍMETRO (PÁTIO):

O adestramento em guarda de perímetro consiste em condicionar o cão para guardar, alertar sobre possíveis ameaças e responder com ataque a invasões do perímetro.

O cão aprende a exercer o ataque (morder) de maneira correta e imobilizar o invasor.

Este pacote é para animais que já tenham concluído o adestramento básico e depende da capacidade do animal para a função.

Tempo médio de adestramento: 30 a 45 dias após a obediência básica.

ADESTRAMENTO DE CÃO DE GUARDA SOB COMANDO:

O adestramento em guarda sobcomando consiste em condicionar o cão para agir sob o comando do condutor, tornado-se defensor do condutor mediante ordem de cuidado, ataque, permissão para aproximação de estranhos e outras. Nesta modalidade de adestramento o cão aprende a potencializar sua mordida para imobilização do suspeito e também aprende a interromper o ataque quanto ordenado pelo condutor. O cão será condicionado para atacar somente sobcomando quando estiver junto com o condutor e o condutor será condicionado a exercer a autoridade necessária sobre o cão.

Este pacote é para animais que já tenham concluído o adestramento básico e depende da capacidade do animal para a função.

Tempo médio de adestramento: 30 a 45 dias após a obediência básica.

Serviço de Adestramento Canino Recusa de Alimentos em Blumenau SC

RECUSA DE ALIMENTO OU ANTI-ENVENENAMENTO:

O adestramento em recusa de alimentos consiste de condicionar o cão para receber alimentação somente em local especifico e por determinadas pessoas, evitando assim o envenenamento acidental ou criminoso do animal. O cão não comerá alimentos achados ou oferecidos por estranhos, desde que mantida sua rotina alimentar.

Tempo médio de adestramento: 15 a 20 dias

Vídeos de Adestramento de Cachoro de Guarda do Centro Canino Walker Dog

Vídeo demonstrando Cão de Guarda para Proteçao contra sequestro com refém

Vídeo demonstrando Cão de Guarda para Proteçao contra roubo de carro

Vídeo demonstrando Cão de Guarda para Proteçao de empresas

Acabar com pulgas em 3 passos

Curso Biscoitos Naturais para Cachorros

Dados de Blumenau - SC
Area em km2= 519
Populacao = 309011
PIB Per Capta = R$ 34564

ETIMOLOGIA

Como se verificará em demais vezes nesse artigo, a designação do município é uma homenagem ao seu fundador. Factualmente, em 1849, Hermann Blumenau, que nasceu em 26 de dezembro de 1819, em Hasselfelde, na Alemanha, procurador da Sociedade Protetora dos Imigrados, ali veio acompanhado de Ângelo Dias, um caboclo que conhecia a região e que guiou o fundador da cidade. Concordou em povoar o terreno, tendo obtido do presidente da Província de Santa Catarina uma doação de duas léguas cúbicas, desde Ribeirão Garcia, edificando um engenho e certos barracos. Depois, rumou para a Alemanha, retornando em 2 de setembro de 1850, com os demais 17 imigrantes trazidos por Hermann Blumenau, que chegaram com disposição para enraizar e construir a cidade, atual e imenso polo de desenvolvimento


HISTORIA

Até o século XVI, a região atualmente ocupada pelo município era habitada pelos índios carijós e xokleng. Estes foram escravizados em massa pelos colonos portugueses de São Vicente.[12] A história de Blumenau, uma das cidades com melhor índice de desenvolvimento humano de Santa Catarina e do Brasil, é resultado da vinda de imigrantes alemães que se estabeleceram em terras de fertilidade da Mata Atlântica. Em quase cem anos, os alemães construíram Blumenau, um centro de desenvolvimento econômico e social dinâmico e conhecido em todo o Brasil.

O município é resultado, primeiramente, do imigrante que aí se radicou. Depois, do trabalho do doutor em filosofia e farmacêutico amador, Hermann Blumenau, de quem a cidade recebeu o nome.[13] Tendo interesse pelos problemas enfrentados pelos imigrantes europeus, em 1845 se entendeu com a Sociedade de Proteção aos Imigrantes Alemães e rumou ao Brasil, objetivando instalar novas colônias e, ao mesmo tempo, fazer a verificação da situação das que já existiam. Deslocou-se pelo Rio Grande do Sul, e em seguida, em Santa Catarina, onde fez uma visitação à colônia alemã de São Pedro de Alcântara. Ciente de comentários a respeito do vale do Itajaí, explorou-o detalhadamente, associando ao seu compatriota Ferdinand Hackradt, já que a Sociedade acima mencionada se dissolveu.

Percorreram o rio Itajaí serra acima a bordo de canoas, conduzidos pelo caboclo Ângelo Dias. Após três dias viajando, atingiram a desembocadura dos ribeirões Garcia e Velha. Foi a região cuja colonização foi decisiva para o povoamento inicial da cidade que leva o sobrenome de seu fundador.[13] Depois da tomada de certas precauções, rumou para a Alemanha, para buscar colonizadores. E em 2 de setembro de 1850, Hermann Blumenau chegou na zona que ele escolheu, com os dezessete imigrantes iniciais. A este momento, já se dissolveu a sociedade feita entre Hermann Blumenau e Ferdinand Hackradt. Assim, Blumenau começou a ser povoada. Porém, os obstáculos foram grandes e Hermann solicitou a ajuda do governo imperial. Pedro II do Brasil adquiriu por pagamento em contos de réis a colônia e indicou-o diretor da mesma, em 1860.

Consolidação

Rua XV de Novembro em 1920

Rua João Pessoa, no bairro Velha Blumenau, na década de 1920

Blumenau em 1972

A despeito das enchentes, das brigas no sertão selvagem, com os animais e mesmo com os indígenas, por obra do Dr. Blumenau, e dos imigrantes dispostos a entrar continuamente em quantidades mais numerosas, a colônia prosperou, mas não sem conflitos com os habitantes originais da região. Blumenau era habitada pelos índios xoclengues, que tiveram suas terras invadidas pelos imigrantes, originando vários conflitos, dos quais os índios saíram perdedores.[13][14][15] Por uma série de anos somente existia um só meio de transporte: o rio Itajaí, por onde navegaram canoas e navios de menor tamanho.

Blumenau também recebeu muitos imigrantes italianos, o que originou conflitos entre estes e os colonos alemães. Os italianos eram quase todos católicos, enquanto muitos dos alemães de Blumenau eram luteranos. Além do mais, os italianos foram assentados em lotes periféricos e montanhosos, enquanto os alemães ocupavam as melhores terras.

Blumenau se elevou à categoria de distrito em 1873.[13] É importante neste contexto a menção, de que, no tempo da Guerra do Paraguai, houve um grande número de moradores em Blumenau que foram apresentados como voluntários e rumaram para a guerra, defendendo o país que adotaram como sua nova residência.[13] No dia 4 de fevereiro de 1880, criou-se o município de Blumenau, composto de cerca de 13 000 moradores.[13] A instalação do município de Blumenau data de 10 de janeiro de 1880. Foi desmembrado de Itajaí. Em 1881, apareceu o primeiro jornal, o Blumenauer-Zeitung que, sem interrupção, ficou em circulação até os últimos dias de 1938.

Dentre os imigrantes chegaram pessoas famosas, como o biólogo, que colaborou com as ideias de Charles Darwin, o senhor Fritz Müller.[13] E é essa a Blumenau da atualidade: com os produtos manufaturados; com sua natureza, suas edificações, suas casas (muitas inteiramente inspiradas pela arquitetura alemã) de enormes jardins, o avanço da educação, dispondo, também de universidade, sua emissora de televisão e atrativos de qualquer tipo.

O município é pertencente à Mesorregião do Vale do Itajaí (o rio que cruza a cidade, servindo-a de enfeite) e sua área é de 519,8 km². Porém, de sua velha extensão territorial foram apartados mais de dez municípios. Blumenau é sede de uma série de acontecimentos históricos e muitas de suas características podem ser encontradas em mais de dez cidades do Vale do Itajaí. Sua população é de 334 002 habitantes. Além do distrito-sede, há outros dois: Vila Itoupava e Grande Garcia.[13] A maioria dos imigrantes originais é proveniente de pequenas aldeias alemãs, como Pahnstangen, na Turíngia.

Nos últimos anos, Blumenau passa por um processo de revitalização de suas principais ruas, seguindo padrões estéticos, com a utilização de paver com piso tátil para deficientes visuais e mobiliários padronizados. Iniciou-se com a rua 15 de Novembro, logo a Beira-Rio e, em 2008, a rua Amazonas e a rua Curt Herin

Enchentes de 2008

Ainda em 2008, a rápida ascensão do nível do rio Itajaí-Açu devido aos dias de chuva constante na região, em um aumento de 350 por cento em comparação com o ano anterior,[19] provocaram alagamentos e desmoronamentos em diversas partes da cidade.[20] As aulas foram suspensas e o ano letivo terminado antecipadamente,[21] enquanto o serviço de ônibus, temporariamente paralisado devido a interrupções no percurso,[22] voltou a funcionar poucos dias depois.

Após ter decretado estado de emergência dois dias antes,[24] o prefeito Kleinübing decretou estado de calamidade pública em 24 de novembro.[25][26] O nível do Itajaí-Açu se encontra em declínio, tendo chegado a 11,52 m na madrugada de 23 de novembro.[27][28] Vinte e quatro pessoas morreram em um total de 50 mil pessoas que foram atingidas pela enchente no município.[29] Após dois dias sem chuvas, novo temporal provocou novos deslizamentos de terra e inundou parcialmente o centro histórico da cidade em 3 de dezembro.[30] Com o final das chuvas, Blumenau começou a receber ajuda do governo do Estado para a reconstrução de ruas e pontes afetadas

Ver artigo principal: História de Blumenau Povos indígenas[editar | editar código-fonte] Ver também: Povos indígenas do Brasil Até o século XVI, a região atualmente ocupada pelo município era habitada pelos índios carijós e xokleng. Estes foram escravizados em massa pelos colonos portugueses de São Vicente.[15] Colonização europeia[editar | editar código-fonte] Ver também: Imigração alemã em Santa Catarina Hermann Bruno Otto Blumenau, fundador da cidade A história de Blumenau é resultado da vinda de imigrantes alemães que se estabeleceram em terras de fertilidade da Mata Atlântica e construíram a colônia São Paulo de Blumenau.[13] Foi fundada pelo químico farmacêutico Hermann Blumenau, de quem a cidade recebeu o nome.[13] Tendo interesse pelos problemas enfrentados pelos imigrantes europeus, em 1845 se entendeu com a Sociedade de Proteção aos Emigrados Alemães para representá-la via procuração e rumou ao Brasil, objetivando instalar novas colônias e, ao mesmo tempo, fazer a verificação da situação das que já existiam. Deslocou-se pelo Rio Grande do Sul, e em seguida, em Santa Catarina, onde fez uma visitação à colônia alemã de São Pedro de Alcântara. Ciente de comentários a respeito do vale do Itajaí, explorou-o detalhadamente, associando ao seu compatriota Ferdinand Hackradt, já que a sociedade acima mencionada se dissolveu.[13] Percorreram o rio Itajaí-Açu a montante a bordo de canoas, conduzidos pelo brasileiro Ângelo Dias. Após três dias viajando, atingiram a desembocadura dos ribeirões Garcia e Velha em 1849.[16] Foi a região cuja colonização foi decisiva para o povoamento inicial do município.[13] Obteve do presidente da Província de Santa Catarina uma doação de duas léguas cúbicas, desde o ribeirão Garcia, edificando um engenho e demais barracos.[17] Depois da tomada de certas precauções, rumou para a Alemanha, para buscar colonizadores. E em 2 de setembro de 1850, Hermann Blumenau retornou à zona elegida com os dezessete imigrantes iniciais. Neste momento já havia se dissolvido a sociedade feita entre H. Blumenau e Hackradt. Assim, Blumenau começou a ser povoada. A maioria dos imigrantes originais é proveniente de pequenas aldeias alemãs, como Pahnstangen, na Turíngia.[18] Dentre os imigrantes chegaram notórios, como o biólogo, que colaborou com as ideias de Charles Darwin, o doutor Johann Müller.[13] Porém, os obstáculos foram grandes e Hermann Blumenau solicitou a ajuda do governo imperial. Pedro II do Brasil adquiriu a colônia por pagamento em contos de réis e indicou Blumenau como diretor da mesma, em 1860.[13] Rua XV de Novembro em 1920 Bairro Velha, década de 1920 Blumenau em 1972 A despeito das enchentes, dos embates com animais selvagens e mesmo com os indígenas, por obra dos imigrantes alemães dispostos a entrar continuamente em quantidades mais numerosas, a colônia prosperou, mas não sem conflitos com os habitantes originais da região. Blumenau era habitada pelos índios xoclengues, que tiveram suas terras invadidas pelos imigrantes, originando vários conflitos, dos quais os indígenas saíram perdedores.[13][19][20] Por uma série de anos somente existia um meio de transporte: o rio Itajaí, por onde navegaram canoas e navios de menor tamanho.[13] Blumenau também recebeu muitos imigrantes italianos, o que originou conflitos entre estes e os colonos alemães. Os italianos eram quase todos católicos, enquanto muitos dos alemães de Blumenau eram luteranos. Além do mais, os italianos foram assentados em lotes periféricos e montanhosos, enquanto os alemães ocupavam as terras planas junto ao centro da colônia.[21] Consolidação[editar | editar código-fonte] Blumenau se elevou à categoria de distrito em 1873.[13] Durante a Guerra do Paraguai, houve um grande número de moradores em Blumenau que foram apresentados como voluntários e rumaram para a guerra, defendendo a pátria que adotaram como sua nova residência.[13] No dia 4 de fevereiro de 1880, criou-se o município de Blumenau, composto de cerca de 13 000 moradores.[13] A instalação do município de Blumenau data de 10 de janeiro de 1880. Foi desmembrado de Itajaí. Em 1881, apareceu o primeiro jornal, o Blumenauer-Zeitung que, sem interrupção, ficou em circulação até os últimos dias de 1938.[13] De sua extensão territorial original foram apartados mais de dez municípios, sendo que atualmente Rio do Sul, Gaspar e Indaial possuem populações superiores a 50 mil habitantes.[nota 1] Século XXI[editar | editar código-fonte] Em 2008, Blumenau passava por um processo de reforma de suas principais ruas, com a aplicação de um padrão estético através da utilização de paver com piso tátil para deficientes visuais, além de mobiliário.[22] Enchentes de 2008[editar | editar código-fonte] Ver artigo principal: Enchentes em Santa Catarina em 2008 Veículo do Exército Brasileiro durante as enchentes de 2008 Ainda em 2008, a rápida ascensão do nível do rio Itajaí-Açu devido aos dias de chuva constante na região, em um aumento de 350 por cento em comparação com o ano anterior,[23] provocou alagamentos e desmoronamentos em diversas partes da cidade.[24] As aulas foram suspensas e o ano letivo terminado antecipadamente,[25] enquanto o serviço de ônibus, temporariamente paralisado devido a interrupções no percurso,[26] voltou a funcionar poucos dias depois.[27] Após ter decretado estado de emergência dois dias antes,[28] o prefeito Kleinübing decretou estado de calamidade pública em 24 de novembro.[29][30] Então o nível do Itajaí-Açu inicia um declínio, após atingir 11,52 m na madrugada de 23 de novembro.[31][32] Vinte e quatro pessoas morreram em um total de 50 mil pessoas que foram atingidas pela enchente no município.[33] Após dois dias sem chuvas, novo temporal provocou novos deslizamentos de terra e inundou parcialmente o centro histórico da cidade em 3 de dezembro.[34] Com o final das chuvas, Blumenau começou a receber ajuda do governo estadual para a reconstrução de ruas e pontes afetadas.[35]
ECONOMIA

Apesar de figurar no quarto lugar entre as maiores economias de Santa Catarina, atrás de Joinville, Itajaí e Florianópolis, possui uma forte influência no estado, pois junto com Joinville e Itajaí, são os maiores centros industriais de Santa Catarina.[carece de fontes] A principal atividade econômica de Blumenau é a indústria têxtil, responsável por fabricantes de grande porte como a Cia. Hering, a Dudalina, a Karsten, e a Teka. Além de médias e pequenas empresas de destaque nacional. Devido a esse caráter da região, possui ainda empresas como a Haco Etiquetas, fazendo da cidade a maior produtora mundial de etiquetas. Blumenau se destaca ainda em outros setores industriais, como a metalúrgica, mecânica e de material elétrico, e é o maior pólo produtor de transformadores do Brasil. Consolidando sua economia diversificada. Outro setor de destaque é o de informática, sendo a cidade-sede do chamado Vale do software e pioneira do setor no estado, tendo muitos softwares líderes em seu segmento, alguns dos quais nascidos na Blusoft, incubadora de empresas do setor.

Um mercado novo, mas em rápida expansão é a produção de cervejas artesanais, como a Eisenbahn e a Bierland.

Conta com uma economia vigorosa, reforçada por um forte comércio, prestação de serviços e turismo de eventos, contando com feiras de projeção internacional, que geralmente são realizadas na Vila Germânica.[carece de fontes] Em 2005, a cidade teve uma exportação de produtos equivalente a US$ 395.959.436,00, representando 6,1% das exportações do estado.

Blumenau há muitos anos se destaca no cenário nacional com seu polo de software, que teve origem em meados de 1969 com a fundação do Centro Eletrônico da Indústria Têxtil (CETIL). As principais empresas têxteis da época (Hering, Karsten, Sulfabril, Artex, Teka e Altenburg) precisavam processar suas notas fiscais, livros contábeis e folhas de pagamento de uma forma ágil, porém, não existia um serviço como este na região e então resolveram se unir e montar um próprio.

Como nesta época tecnologia era algo realmente caro e de conhecimento de poucos, este grupo resolveu fundar um centro de treinamentos, o que acabou capacitando muitos cidadãos blumenauenses no que seria hoje chamado de Tecnologia da Informação. Mais tarde, em meados de 1975, a Universidade Regional de Blumenau fundou o curso de técnico em processamento de dados e por volta de 1988 finalmente o curso de Bacharel em Ciências da Computação. Alguns dos professores de hoje em dia são remanescentes da extinta Cetil Treinamentos e sem sombra de duvidas formaram muitos acadêmicos no setor de informática principalmente no desenvolvimento de software.[carece de fontes] Dentro deste universo, muitos acadêmicos com espírito empreendedor acabaram criando suas próprias empresas e hoje possuem seu nome no cenário nacional, alguns inclusive sendo inseridos no mercado mundial

Algumas informacões sobre a economia e população da cidade. A cidade de Blumenau localizada no estado de Santa Catarina tem uma área de 519.8 de quilometros quadrados. A população total de Blumenau é de 309011 pessoas, sendo 151542 homens e 157469 mulheres. A população na área urbana de Blumenau SC é de 294773pessoas, já a população da árae rual é de 14238 pessoas. A Densidade demográfica de Blumenau SC é de 594.44. A densidade demegráfica é a medida expressada pela relação entre a população e a superfície do território, geralmente aplicada a seres humanos, mas também em outros seres vivos (comumente, animais). É geralmente expressada em habitantes por quilômetro quadrado. Veja mais no link a seguir Densidade Demográfica Wikipedia. Outra informação que temos sobre a população de Blumenau SC é que 19.91% tem entre 0 e 14 anos de idade; 73.78% tem entre 15 e 64 anos de idade; e 6.31% tem acima de 64 anos de idade. Conforme os dados, a maior população da cidade de Blumenau localizada no estado de Santa Catarina são as pessoas de 15 a 64 anos de idade, ou seja, existem mais adultos no município. Em termos de ecnomia isso é bom pois tem mais pessoas trabalhando e gerando riqueza para o país. Algumas informacões sobre a economia e população da cidade. A cidade de Blumenau localizada no estado de Santa Catarina tem uma área de 519.8 de quilometros quadrados. A população total de Blumenau é de 309011 pessoas, sendo 151542 homens e 157469 mulheres. A população na área urbana de Blumenau SC é de 294773pessoas, já a população da árae rual é de 14238 pessoas. A Densidade demográfica de Blumenau SC é de 594.44. A densidade demegráfica é a medida expressada pela relação entre a população e a superfície do território, geralmente aplicada a seres humanos, mas também em outros seres vivos (comumente, animais). É geralmente expressada em habitantes por quilômetro quadrado. Veja mais no link a seguir Densidade Demográfica Wikipedia. Outra informação que temos sobre a população de Blumenau SC é que 19.91% tem entre 0 e 14 anos de idade; 73.78% tem entre 15 e 64 anos de idade; e 6.31% tem acima de 64 anos de idade. Conforme os dados, a maior população da cidade de Blumenau localizada no estado de Santa Catarina são as pessoas de 15 a 64 anos de idade, ou seja, existem mais adultos no município. Em termos de ecnomia isso é bom pois tem mais pessoas trabalhando e gerando riqueza para o país. "Castelinho" edificado em falso enxaimel, atualmente ocupado por uma filial da Havan Fábrica da Companhia Hering na década de 1920, bairro Bom Retiro Apesar de figurar no quarto lugar entre as maiores economias de Santa Catarina, atrás de Joinville, Itajaí e Florianópolis, possui forte influência no estado, pois configura com Joinville e Itajaí os maiores centros industriais de Santa Catarina.[83] A principal atividade econômica de Blumenau é a indústria têxtil,[84] responsável por fabricantes de grande porte fundados no século XIX, como a Companhia Hering e a Karsten. Um setor em rápida expansão é o de cervejas artesanais.[85] A economia é reforçada pelo comércio, prestação de serviços e turismo de eventos, este último realizando feiras de projeção internacional, que geralmente ocorrem na Vila Germânica.[86] Em 2017, a cidade teve uma exportação de produtos equivalente a 430.647.328,00 dólares, o que representa 5,06% das exportações do estado.[87] De janeiro a julho de 2018, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, Blumenau foi a segunda cidade de Santa Catarina que mais gerou empregos, com 3,8 mil contratações a mais do que demissões. Dados do Caged repassados pelo Sistema de Informações Gerenciais e de Apoio à Decisão (Sigad), da Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), de 2016, aponta que havia 129,6 mil pessoas empregadas formalmente na cidade. Desse número, o maior empregador é o setor de serviços, com 46,8 mil vagas, contra 42,8 mil da indústria. Lideram as estatísticas municipais o setor têxtil que tem 54% das vagas da indústria (23,1 mil trabalhadores), e o comércio varejista que soma 42,7% dos postos de trabalho da área de serviços (20 mil trabalhadores).[88] Blumenau há muitos anos se estabeleceu como um polo de tecnologia da informação (T.I.), setor que ajudou a diversificar a economia local. A origem local desta área está no seio das indústrias têxteis. Na década de 1970, cerca de 10 empresas se uniram para montar uma central para os serviços de tecnologia, o Centro Eletrônico da Indústria Têxtil (Cetil). O modelo subsistiu graças a produtos como sistemas de emissão de carnês para prefeituras. Atualmente, a área de T.I. é a maior arrecadadora do imposto sobre serviços de qualquer natureza (I.S.S.) em Blumenau.[88] Turismo[editar | editar código-fonte] Desfile da Oktoberfest na rua XV de Novembro O destaque turístico da cidade é sua Oktoberfest; cabe menção à Festitália, ao stammtisch e ao Festival Nacional de Danças Folclóricas. A Oktoberfest, cujo significado é "festa de outubro", foi criada em 1984 para elevar o ânimo da população que havia acabado de suportar duas das maiores enchentes na história de Blumenau (1983—84).[89] Inspirada na homônima Oktoberfest de Munique,[90] a versão de Blumenau é a maior festa de cultura alemã do Brasil e na edição de 2017 gerou 4,25 milhões de reais em lucro.[91] O turismo ecológico perpassa museus como o Museu de Ecologia Fritz Müller, que funciona na antiga casa do cientista, e o Museu da Água, onde pode-se ver todo o processo de despoluição da água captada do rio Itajaí-Açu. Há também parques ecológicos como o Parque Natural Municipal São Francisco de Assis, vizinho ao centro da cidade, e o Parque Nacional da Serra do Itajaí, com trilhas que percorrem áreas remanescentes de Mata Atlântica — além do último abranger um dos pontos culminantes de Blumenau, o morro Spitzkopf.[92] Entre os principais locais de lazer está a rua XV de Novembro, onde acontecem os desfiles da Oktoberfest e o stammtisch, além das paradas cívicas na data de aniversário do município (2 de setembro), e, alguns dias depois, no Dia da Independência.[93] Parque Nacional da Serra do Itajaí
TURISMO

A Secretaria de Turismo de Blumenau mantêm 4 roteiros turísticos englobando os diversos aspectos da cidade. Para os turistas que chegam, a cidade oferece CATs (Centrais de Atendimento ao Turista) que disponibilizam informações e dicas de atrativos da cidade.

E além destes, outro atrativo são as festas, festivais e eventos do município, grande destaque para a Oktoberfest, Festitália, Stammtisch, o Festival Nacional de Danças Folclóricas (FESTFOLK) e a TexFair. A Oktoberfest, cujo significado é festa de outubro, foi criada em 1984 para aumentar o ânimo da população que havia acabado de passar pelas maiores enchentes da história de Blumenau(1983/1984).[75] Inspirada na homônima Oktoberfest de Munique,[76] a Oktoberfest de Blumenau é uma das festas folclóricas mais populares do Brasil e segunda maior festa da cerveja do mundo. Suas principais atrações são o Concurso de Chope em Metro e os desfiles na Rua XV de Novembro.

O turismo ecológico em Blumenau tem o nome de Roteiro de Natureza Fritz Müller, em homenagem ao cientista e naturalista de mesmo nome que morou e estudou a fauna e a flora da cidade. O roteiro inclui nove atrações e treze trilhas, com destaque para museus como o Museu de Ecologia Fritz Müller, que funciona na antiga casa do cientista e possui um caráter educativo quanto às questões ambientais, e o Museu da Água, onde pode-se ver todo o processo de purificação da água recolhida do Rio Itajaí-Açu, e todos os métodos utilizados na cidade durante a história; e parques ecológicos como o Parque Natural Municipal São Francisco de Assis, o Parque das Nascentes, a Nova Rússia e o Parque Ecológico Spitzkopf, apresentando trilhas que passam por entre áreas remanescentes de Mata Atlântica - além do último possuir um dos pontos culminantes de Blumenau, o morro Spitzkopf

Educação[editar | editar código-fonte] Universidade Regional de Blumenau (FURB) Blumenau sedia duas universidades, a Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), com três campi em seu território, e um campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), implantado em 2014.[94] Seguindo uma tendência nacional, a partir da década de 2000, Blumenau passou a dispor de outras instituições de ensino superior, como a Uniasselvi, a Faculdade Sociesc, a FAE Centro Universitário, a Faculdade SENAI, a Faculdade SENAC e o Instituto Federal Catarinense. O censo escolar do INEP aponta para um número total de 99.919 alunos matriculados em Blumenau durante o ano letivo de 2006, sem levar em consideração os estudantes do ensino superior.[95] Havia, ainda, 15 mil alunos matriculados no ensino superior em Blumenau no ano de 2005, segundo o IBGE.[96] A rede municipal de ensino, em específico, possui 133 escolas e 38.849 alunos. O município registra um número total de 2.747 docentes nos ensinos pré-escolar, fundamental, médio e superior, segundo informações do IBGE para os anos de 2005 e 2006. O analfabetismo na cidade é de 3,3% entre a população.[47] Na classificação do PNUD para a educação, Blumenau está na 8ª posição dos municípios de Santa Catarina, apresentando um IDH educacional de 0,945, considerado elevado.[47] Transportes[editar | editar código-fonte] Terminal de ônibus da PROEB Aeroporto de Blumenau Está equipada com o "Terminal Rodoviário de Passageiros Prefeito Hercílio Deeke", inaugurado em 1980. Em 2012, contabilizando os embarques e desembarques, a movimentação média semanal foi de 10.325 pessoas. Ao todo, a rodoviária possui área de 11.654 m², e abriga mais de 20 boxes para embarque e desembarque de passageiros, além de agências para aquisição de passagens intermunicipais e interestaduais, lanchonete 24 horas, serviços de táxi e ônibus coletivo urbano.[97] No transporte coletivo, a cidade dispõe de seis terminais de ônibus urbanos integrados — Aterro, Fonte, Garcia, Velha, Fortaleza e PROEB — e com planos para construção de outros dois terminais, Água Verde e Itoupava.[98] A frota blumenauense em janeiro de 2009 era de 175.875 veículos.[99] O Aeroporto de Blumenau atende somente aeronaves de pequeno porte. Possui uma pista de 1,45 km de comprimento e opera diariamente até o pôr do sol, em condições visuais. Em 2006 o governo municipal iniciou o processo de homologação, junto à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), para a operação comercial de linhas periódicas.[100] Em 2009 implantou aluguel de bicicletas públicas, sendo a primeira cidade da região Sul a implantar este sistema. Mas, devido à baixa procura pelo serviço, o sistema foi desativado em janeiro de 2011. O desinteresse da população foi atribuído à precariedade da estrutura cicloviária municipal e à complexidade do sistema de aluguel, que envolvia aquisição de passe com cartão de crédito e uso de telefone celular para a liberação da bicicleta.[101][102] Saúde[editar | editar código-fonte] Hospital Santa Isabel Segundo o PNUD, a saúde blumenauense se encontra na 112ª posição brasileira, com um IDH de 0,824, considerado elevado. A expectativa de vida é de 74,4 anos. A taxa de fecundidade é de 1,8 filho por mulher, enquanto a mortalidade infantil apresenta um coeficiente de 14,8 óbitos a cada mil recém-nascidos.[47] Existiam 199 estabelecimentos voltados para a saúde em Blumenau no ano de 2005, sendo 52 públicos (todos municipais) e 147 privados, com somente 7 destes sem fins lucrativos.[103] Em 2007 houve 663 óbitos em Blumenau, 369 masculinos e 294 femininos. As causas de morte mais frequentes foram doença cardiovascular (163 casos), doença respiratória (144 casos) e neoplasia (126 óbitos).[104] Blumenau é vice-líder mundial em câncer de pele, somente atrás de Queensland, Austrália, fato este que se deve ao biótipo predominante da cidade, pouco adequado a regiões tropicais, já que manifesta fenótipo de pele com pouca melanina.[105] Quanto ao saneamento básico, em 2010 cerca de 4,8% do esgoto produzido pelo município era enviado ao tratamento, percentual que aumentou para 40% no início de 2017.[106] Entretanto, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto do município (SAMAE) estimou que em 2017, 30% da água tratada foi desperdiçada em vazamentos, como os surgidos por rompimento de tubulação.[107] Mídia[editar | editar código-fonte] Blumenau é o município pioneiro das comunicações em Santa Catarina, pois nele foi instalado a primeira emissora de rádio do estado, a Rádio Clube,[108] e a primeira rede de televisão, a TV Coligadas, em 1969.[109] Porta um jornal impresso que é distribuído no Vale do Itajaí, o Jornal de Santa Catarina. Blumenau apresenta três redes de televisão local, a TV Galega, criada em 1997,[110] a FURB TV, afiliada à SESC TV e ao Canal Futura, e a TVL. Além disso, possui representação de filiadas de diversas redes de televisão nacionais, como NSC TV Blumenau (Rede Globo), TV Catarina (Rede Bandeirantes), SBT Santa Catarina (SBT) e RIC TV Blumenau (Rede Record).[carece de fontes?] Blumenau contém 18 salas de cinema distribuídas em três centros comerciais. São seis salas localizadas no Shopping Neumarkt, da rede GNC, sendo uma sala para filmes 3D; sete salas no Blumenau Norte Shopping, da rede Cinépolis, sendo três salas para 3D,[111] e as demais cinco salas, localizadas no Shopping Park Europeu, rede Arcoplex — duas destas preparadas para projeção em 3D.[112]

Adestramento De Caes De Guarda Em Biguacu Sc

Conheça o Venda de Filhotes de Cães de Guarda em Blumenau SC