Venda de Cão de Guarda Em Luiz Alves SC - WalkerDog

Pastor Alemão, Pastor Belga Malinois e Rottweiler

Venda de Cães de Guarda Em Luiz Alves Santa Catarina- WalkerDog


Venda de Filhotes de Cães centro canino walkerdog Está querendo comprar um cão de guarda e mora em Luiz Alves SC? Conheça os cães de guarda adestrados do Centro Canino Walker Dog.

O Centro Canino WalkerDog cria para venda Pastor Alemão, Pastor Belga Malinois, Rottweiler, Doberman e Buldog Campeiro.

Nossos cães são selecionados para trabalho de faro e proteção, excelentes amigos da família, confiáveis com as crianças, mas protetores contra invasores, possuem adestramento, campo e pista de esporte para se exercitar e controlar energia, são criados junto de nossas crianças com total confiança, vacinas importadas e ração premium. Filhotes só são vendidos com atestado de saúde por veterinário. Com a crescente violência, o despreparo da segurança pública e privada, estamos cada vez mais desprotegidos.

Cães são auxilios indispensáveis na segurança, não temendo arma de fogo, não aceitando suborno e treinado são poderosos guardiões contra invasores. Veja como um cão pode proteger sua família

Venda de Cão de Guarda ou Proteção da Raça Pastor Alemão em Luiz Alves SC

Está querendo comprar um cão de guarda da raça Pastor Alemão e mora em Luiz Alves SC? Conheça os filhoes de raça do Centro Canino Walker Dog.

O Centro Canino WalkerDog vende cães de proteção da raça Pastor Alemão. Caso tenha interesse em comprar um filhote de Pastor Alemão entre em contato conosco.

O Pastor Alemão Capa Preta é um dos cães mais inteligentes e é muito dedicado à sua missão. É uma raça muito versátil, devotado, leal e fiel aos donos. Convive muito bem com outros animais domésticos.

Eles são cães calmos e ficam ainda mais quando adultos. Não é um cachorro medroso, adora receber carinho e elogios da família. É um cão vigilante e alerta e pode ser um pouco reservado com estranhos. Caso não deseja tê-lo pra guarda, acostume-o desde cedo à presença de visitas e pessoas que ele não conheça.

O pasto alemão é um cão muito atento e tem um olfato invejável, por isso é muito usado pela polícia, sendo até chamado de “cão policial”. Na polícia ele é usado para ataque, rastrear drogas, buscar corpos em escombros e localizar pessoas desaparecidas.

O Pastor Alemão tem mais o perfil de defesa do que de ataque. Não deve ser criado pra atacar, pois pode se tornar muito violento. É uma raça que se dá bem com crianças e idosos, são pacientes e tranquilos.

Adestramento de Pastor Alemão: Pastor-alemão ou cão-lobo-da-alsácia é uma raça canina proveniente da Alemanha. Em sua origem era utilizado como cão de pastoreio de rebanhos. Atualmente é mais utilizado como cão de guarda e companhia.

Venda de Cão de Guarda ou Proteção da Raça Pastor Belga Malinois em Luiz Alves SC

Está querendo comprar um de cão de guarda de raça Pastor Belga Malinois e mora em Luiz Alves SC? Conheça os filhoes de raça do Centro Canino Walker Dog.

Sempre alerta e em movimento, o Pastor Belga é bastante brincalhão, vigilante e protetor além de ser um cachorro muito forte. Ele pode ser indiferente com estranhos e alguns podem ser bravos e até avançar. Esta raça é inteligente e dócil mas independente. Ele é o protetor de sua casa e família. O pastor belga milanois é a raça mais utilizada pela polícia norte americana.

O Pastor Belga precisa de exercitar bastante, o que pode ser uma corrida longa ou um uma seção longa e cansativa de brincadeiras como correr atrás de uma bolinha. Ele precisa de espaço para se movimentar durante o dia e faz melhor e por isso será ótimo se tive um quintal grande. É necessário levar para escovar e pentear seus pelos duas vezes por semana. Sua pelagem dupla precisa escovar e pentear duas vezes por semana.

Adestramento de Pastor Belga Malinois: Pastor-belga Malinois é uma das quatro variedades da raça Pastor-Belga, originária da Bélgica. De pelagem curta, de cor fulvo-encarvoada, é nativo da região de Malinas e tido como um dos mais comuns entre os pastores belgas

Venda de Cão de Guarda ou Proteção da Raça Rottweiler em Luiz Alves SC

Está querendo comprar um cão de guarda da raça Rottweiler e mora em Luiz Alves SC? Conheça os filhoes de raça do Centro Canino Walker Dog.

O Centro Canino WalkerDog vende cães de proteção da raça Rottweiler. Caso tenha interesse em comprar um filhote de Rottweiler entre em contato conosco.

O Rottweiler é um cão amável e divertido, mas ao mesmo tempo ele é muito poderoso. Um adestramento de obediência de rottweiller adequado desde filhote e a socialização são extremamente necessários. Essa raça pode ser muito territorial e protetora de sua família e casa. Rottweilers podem ser bem intimidadores e ainda carregam a fama de serem bravos, mas eles são ótimos para famílias e podem ser muito dóceis também.

O Rottweiler tem um pêlo curto e brilhante, de fácil manutenção. Escovar regulamente para tirar o excesso de pelos mortos é suficiente para mantê-lo bonito. Dar banho com muita frequencia vai tirar a oleosidade natural de sua pele, causando sérios problemas dermatológicos.

Rottweilers adoram aprender e serão excelentes se tiverem oportunidade. Treino de obediência é essencial, já que essa raça pode se tornar bem destrutiva se não for estimulada. É preciso uma pessoa forte, firme e dominante quando for treinar esse cão poderoso. O Rottweiler é extremamente inteligente para adestramento e se sai muito bem em diferentes esportes, mas também pode ser teimoso. Ocupam o 9º lugar no ranking de inteligência canina.

Adestramento de Rottweiler: Rottweiler é uma raça canina desenvolvida na Alemanha. Cão criado por açougueiros da região de Rottweil para o trabalho com o gado, logo tornou-se um eficiente animal de guarda e pastoreio, além de ser útil na tração.

Dados para contato e localização

centro canino walker dog - contato

Adestramento de Cães em Luiz Alves Santa Catarina
Cidade: Luiz Alves
Estado - País: Santa Catarina - BRA
Telefone: 55 (51) 9 97613537 (vivo) e (51) 9 91519690 (claro)
Email : alexsandro0113@hotmail.com
Url:

Vídeos de Venda de Cão de Guarda ou Proteção do Centro Canino WalkerDog

Cão de guarda evita roubo carro - simulação

Vídeo 04 WalkerDOG Cão salvando o dono de perigo

Sequestro com refém termina mau. Cães e homens juntos!

centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Raça centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Pastor Alemão 01 centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Pastor Alemão 02 centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Pastor Alemão 03 centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Rotweiller 01 centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Rotweiller 02 centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Rotweiller 03 centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Rotweiller 04 centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Pastor Belga Malinois 01 centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães dePastor Belga Malinois 02 centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Pastor Belga Malinois 03 centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Pastor Belga Malinois Com 03 Meses a centro canino walker dog - Venda de Filhotes de Cães de Pastor Belga Malinois Com 03 Meses b

O Centro Canino WalkerDog Vende de Filhotes de Cães de Raça para moradores de diversos municípios

Dados de Luiz Alves - SC
Area em km2= 260
Populacao = 10438
PIB Per Capta = R$ 0

HISTORIA
O início da colonização da área em que hoje compreende o município de Luiz Alves é incerta, pois seu povoamento se deu de forma esparsa através de pessoas vindas de Itajaí que subiam o vale colonizando cada vez mais seu interior, chegando a ocupar seu médio vale, pois a área que compreende o alto Luiz Alves e seus afluentes era terra devoluta e habitada somente por índios Tapuias, que eram nômades, conhecidos hoje pelo nome Xokleng ou Lã-Klanõ, e que ocupavam toda a área do Vale do Itajaí. Por volta de 1867 já se citava o nome da localidade "Luiz Alves" ou "Sertão do Luiz Alves" nos registros de casamento, batismo e óbito da Matriz do Santíssimo Sacramento, em Itajaí. Em dezembro de 1876, a Comissão encarregada de discriminar as terras do domínio particular, no então município de Itajaí, segue para o rio Luiz Alves, a fim de escolher o melhor local para o estabelecimento de uma colônia, e, em função de tal desejo, foram medidos 16 lotes, com 275 metros de frente e 1.100 metros de fundos. Em 1877, a área territorial da "Colônia Luiz Alves" era de 12 léguas quadradas. Isto significava, em fins de setembro de 1877, que haviam sido medidos 224 lotes. E, em novembro de 1877, a colônia “Luiz Alves” tem iniciado o seu povoamento. Os italianos foram os pioneiros na colonização de Luiz Alves e logo após foram seguidos pelos alemães, austríacos e portugueses. Em 29 de novembro de 1877 chegava a primeira remessa de colonos eram 79 colonos. A segunda remessa chegou em 10 de dezembro de 1877 e a terceira remessa chegou dia 30 de dezembro de 1877. Eram esses colonos italianos e austríacos, que ocuparam os primeiros 52 lotes, sendo 28 lotes às margens do rio Luiz Alves e 24 lotes às margens do Braço do Norte. Já os alemães que chegaram ocuparam 11 lotes às margens do ribeirão Máximo, enquanto os colonos nacionais tiveram 30 lotes, às margens dos ribeirões Serafim e Braço Seco. E por último os portugueses ocuparam lotes cedidos a eles às margens do Rio do Peixe. O diretor da colônia, era Júlio Grothe, administrou-a muito mal e foi demitido. Grothe então foi substituído pelo engenheiro Pedro Luiz Taulois, a 13 de setembro de 1878, esse por sua vez exerceu a função até emancipação política de Luiz Alves. A colônia de Luiz Alves teve também, vida acidentada, registrando-se vários motins entre os colonos, obrigando o emprego e a permanência da força policial para manter a ordem perturbada com relativa frequência. Tal situação motivou o seu lento progresso até que, em 1890 o governo da Província de Santa Catarina viu-se na contingência de lhe retirar os favores coloniais, extinguindo a colônia Luiz Alves. Iniciada em 1877 com 230 colonos, em 1878 elevava o seu número para 500 colonos. Apesar da extinção da colônia, nela se localizam ainda novas levas de colonos: em 1892 são 83, em 1893 outros 78 e, por fim, em 1894 mais 6. Após Pedro Luiz Taulois começar a dirigir a colônia, os interesses da colônia passaram a ser dirigidos por Brusque e mais tarde por Blumenau. Em 1893, a companhia Torrens estabeleceu 83 colonos em área medida em Luiz Alves, seguindo-se nos dois anos seguintes mais 84, aproveitando assim 167 dos 475 lotes demarcados. Após os interesses da colônia terem sido dirigidos por Brusque]] e mais tarde por Blumenau, ela foi completamente esquecida pouco que se fazia pela colônia Luiz Alves. Então ela passou a ser Distrito do município de Itajaí por decreto de 10 de janeiro de 1903, Luiz Alves de 1903 até 1958 foi distrito de Itajaí. Até em 1958, eleva-se a categoria de município pela lei Nº. 348 de 21 de junho de 1958. E a emancipação política no dia 18 de julho de 1958, sendo o primeiro prefeito eleito de Luiz Alves o senhor Guilherme Schwanke. O município começa a regredir nas décadas de 60 e 70. Agricultura foi desvalorizada. O governo despreza os pequenos municípios. As fábricas começaram a pagar bem e os luizalvenses foram para as cidades. Pelas décadas de 1970 e 1980 surgiu o plantio da banana, que fez com que diminuísse o êxodo rural e o município desenvolveu-se bastante economicamente. Aproximadamente em 1977, durante o governo de Wilibaldo Bylardt (prefeito) e Miro Hess (vice-prefeito), iniciou-se a abertura da SC-413, a eletrificação rural, a retificação das estradas, o ginásio de esporte e o campo da SERAL, calçamento da rua 18 de Julho (centro), construção do prédio do BESC, construção de pontes nas comunidades, abastecimento de água – represa e reservatório. As maiores enchentes[editar | editar código-fonte] 1880: Logo nos primeiros anos de colônia já houve uma grande enchente que geraram muitos prejuízos para os que ali viviam. As chuvas duraram de 22 a 23 de setembro, os mais antigos contavam que as águas levavam o gado, as plantações, tudo o que vinha pela frente. Perderam a vida 25 colonos (afogados e soterrados), houve deslizamentos de terra, e diversas plantações e pastagens próximas às margens dos rios foram soterradas com terra e areia que veio com as águas. (esta enchente pelo que se consta foi semelhante a ocorrida em novembro de 2008 em Luiz Alves e região) 1911: Neste ano Luiz Alves, viu-se outra vez sob o domínio das águas. Não se registrou vítimas humanas. Os prejuízos foram todos indenizados com auxílio vindos de diversos pontos do país e de Hamburgo. 1927 e 1948: Foram enchentes de menores proporções os níveis das águas ficou semelhante a enchente de 1911. 1970: Uma tromba d’água que desabou em todo o município na noite do dia 2 de fevereiro fez com que os rios enchessem rapidamente, o nível das águas superou a de 1880. Grandes quantidades de animais afogaram-se, plantações ficaram debaixo das águas e nada se pôde aproveitar. Não houve vítimas humanas. 1983 e 1984: Muita chuva nestes dois anos, porém o nível das águas segundo os mais antigos não superou a enchente de 1970, não houve vítimas humanas, os prejuízos também foram incalculáveis com animais, plantações, etc. 2008: 21, 22 e 23 de novembro de 2008, ocorreu uma das maiores tragédias na região, foram cerca de três dias corridos de chuva com cerca de 550 mm de chuva. O nível das águas superou a enchente de 1983/1984, porém não a de 1970. Em prejuízos, contudo, superou-se: deslizamentos de terra, pastagens e plantações as margens dos rios foram praticamente todos aterrados com terra e areia, 11 pessoas perderam a vida por deslizamentos de terra (porém nenhuma por afogamento). O município ficou cerca de 5 dias sem energia elétrica, 6 dias sem os serviços telefônicos, 5 dias isolado dos demais municípios. Centenas de casas foram destruídas ou danificadas e centenas de pessoas desabrigadas, várias pontes caíram, estradas e ruas sem condições de tráfego por terem se abertos crateras e deslizamentos de terra em ruas. 2011: 21 e 22 de janeiro de 2011, uma tromba d’água entre 18h30 e 20h30 assolou Luiz Alves e região. No município choveu em aproximadamente duas horas cerca de 150 mm de chuva (mais que a metade do nível de chuva esperada para todo o mês de janeiro), o nível do rio Luiz Alves subiu pouco mais de 6 metros do seu nível normal e 8 bairros ficaram isolados do município. Houve inundações em residências e comércio principalmente nos bairros Vila do Salto, Dom Bosco, Centro, Braço Elza, Vila Nova e Rio do Peixe; nos demais bairros houve inundações mas não chegou a atingir residências. Houve outros prejuízos como perdas na agricultura e deslizamentos de terra em vários pontos no município, mas felizmente não houve vítimas. Cerca de pouco mais de 10 famílias ficaram desabrigadas. 2011: 25 de fevereiro, uma tromba d’água no início da manhã assolou apenas a cidade de Luiz Alves o que colocou a cidade em destaque na mídia. Foram cerca de 3 horas de muita chuva, com cerca de 120 mm, o que foi o bastante para se contabilizarem inúmeros prejuízos materiais. O nível do rio Luiz Alves subiu pouco mais de 5 metros do seu nível normal e o bairro Braço Cunha ficou isolado devido à queda de uma ponte. Houve também inundações em residências e comércio principalmente nos bairros: Vila do Salto, Dom Bosco, Centro, Braço Elza, Vila Nova, Alto Canoas, Braço Miguel, Baixo Canoas e Rio do Peixe. Nos demais bairros ocorreram inundações, mas não chegou a atingir residências. Houve outros prejuízos como perdas na agricultura e deslizamentos de terra em vários pontos no município, sem vítimas. 5 famílias ficaram desabrigadas, várias outras famílias perderam quase todos os seus bens e outras ficaram desalojadas. Origem do nome do município[editar | editar código-fonte] Muitas são as versões sobre o nome do município, mas a mais aceita é a de Dom Luiz Alves, e de seu escravo que também era chamado de Luiz Alves. Esse garoto era escravo de Dom Luiz Alves, um rico fazendeiro que morava na foz do rio Luiz Alves em Ilhota. Por ele ter começado ali a colonização de Ilhota, então foi dado o nome ao rio de Luiz Alves. Ele também acompanhou os imigrantes italianos até a colônia de Luiz Alves. Com a grande popularidade da cachaça e de outros produtos, a nova colônia necessitava de comunicação. Então começava a aparecer as correspondências. Ofereceu-se este trabalho ao negrinho Luiz Alves que pegava as encomendas e saia correndo até os núcleos. Quando alguém lhe perguntava como era o nome da colônia, simplesmente respondia que não sabia. Apenas tinha certeza que ia a 3 núcleos; dos italianos, alemães e portugueses. Todos o chamavam de “Negrinho Maluco”, mas ele tinha orgulho em dizer que se chamava Luiz Alves, o nome do patrão que originou o nome do rio, que ele seguia. Em uma assembleia do legislativo catarinense foi levado e aprovado o nome de Luiz Alves. A dúvida é se a homenagem seria a Dom Luiz Alves ou ao escravo. O histórico da religião católica em Luiz Alves[editar | editar código-fonte] A colônia Luiz Alves, foi iniciada em 1877 com a chegada dos primeiros imigrantes italianos, logo após seguidos pelos alemães e portugueses ao município. Em 1879 já estava edificada a primeira e simples capela dedicada a São Vicente de Paulo. Em 1899, foi construída a segunda capela, com licença dada pelo bispo de Curitiba, Dom Duarte Leopoldo e Silva. Em 1912 foi criada a Paróquia São Vicente de Paulo. A atual igreja matriz São Vicente de Paulo foi iniciada a sua construção em 1941 e concluída em 1952. Em setembro de 2002 foi comemorado o seu jubileu áureo da sua construção e em 2012 comemorado seu centenário da paróquia. Umas das curiosidades da paróquia é que toda a igreja é feita de tijolo maciço, sem composição de ferro. Os dois sinos que estão na torre principal o então governador do estado Irineu Bornhausen os doou no natal de 1937. Em novembro de 1977 foi comemorado o centenário da fundação da colônia de Luiz Alves. No dia 2 de dezembro de 2007 foram comemorados os 130 anos da imigração italiana. Em 18 de julho de 2008 foi comemorado o cinquentenário de emancipação política do município de Luiz Alves. Em 2012, será comemorado o centenário da criação da Paróquia São Vicente de Paulo. Atualmente a Paróquia São Vicente de Paulo (Centro de Luiz Alves), tem 17 capelas espalhadas por todo o município.
ECONOMIA
Algumas informacões sobre a economia e população da cidade. A cidade de Luiz Alves localizada no estado de Santa Catarina tem uma área de 260.1 de quilometros quadrados. A população total de Luiz Alves é de 10438 pessoas, sendo 5383 homens e 5055 mulheres. A população na área urbana de Luiz Alves SC é de 3256pessoas, já a população da árae rual é de 7182 pessoas. A Densidade demográfica de Luiz Alves SC é de 40.13. A densidade demegráfica é a medida expressada pela relação entre a população e a superfície do território, geralmente aplicada a seres humanos, mas também em outros seres vivos (comumente, animais). É geralmente expressada em habitantes por quilômetro quadrado. Veja mais no link a seguir Densidade Demográfica Wikipedia. Outra informação que temos sobre a população de Luiz Alves SC é que 23.4% tem entre 0 e 14 anos de idade; 70.09% tem entre 15 e 64 anos de idade; e 6.51% tem acima de 64 anos de idade. Conforme os dados, a maior população da cidade de Luiz Alves localizada no estado de Santa Catarina são as pessoas de 15 a 64 anos de idade, ou seja, existem mais adultos no município. Em termos de ecnomia isso é bom pois tem mais pessoas trabalhando e gerando riqueza para o país. 1 História 1.1 As maiores enchentes 1.2 Origem do nome do município 1.3 O histórico da religião católica em Luiz Alves 2 Símbolos oficiais 3 Prefeitos 4 Bairros 5 Localização e limites 5.1 Vias de acesso 5.2 Distância entre Luiz Alves e algumas cidades do estado de Santa Catarina 6 A agricultura e a pecuária 7 Hidrografia 8 Turismo 8.1 Festa Nacional da Cachaça 9 Meios de comunicação 10 Notas 11 Referências 12 Ver também
TURISMO
Localizado no centro do triângulo formado por Blumenau, Joinville e Itajaí, Luiz Alves é um dos maiores produtores de cachaça do Estado e a aguardente do município está classificada entre os melhores do Brasil. Todos os anos, no mês de julho, a cidade festeja a safra de cana-de-açúcar e a produção da aguardente com a Festa Nacional da Cachaça, que leva milhares de visitantes ao município. Vale conferir o processo de industrialização e destilação da cachaça, obtida através da cana-de-açúcar e da banana, nos cerca de 50 alambiques do município. Festa Nacional da Cachaça[editar | editar código-fonte] A Festa Nacional da Cachaça, mais conhecida como Fenaca, teve sua primeira edição em julho de 1984, mês de aniversário do município de Luiz Alves e foi idealizada durante o mandato do prefeito José Alberto Gonzaga Simão. Teve sua abertura em uma sexta-feira, pelo então governador Esperidião Amin e se estendeu por três dias. Aproximadamente 25 mil pessoas passaram pela Fenaca, entre moradores, visitantes de outras cidades e estados e até mesmo alguns estrangeiros. Durante a Fenaca, Luiz Alves recebe os maiores produtores de cachaça do Município e do Estado de Santa Catarina, que exibem toda a sua produção, permitindo a degustação e comercialização em meio a um ambiente festivo, com opções de gastronomia típica, cultura e entretenimento musical. Ao longo do tempo, o evento se consolidou, podendo englobar um leque de outros segmentos, como feira agroindustrial e mostra econômica. Por isso, a Fenaca torna-se cada vez mais um evento de grande importância para o turismo catarinense, promovendo a visibilidade dos produtos de Luiz Alves e de seus apoiadores junto ao público. A cidade é conhecida como a “Terra da Cachaça”, devido aos seus produtos de qualidade reconhecidos nacional e internacionalmente. As cachaças luizalvenses são constantemente premiadas em concursos importantes, como na Expocachaça, maior evento do setor no mundo e no Concurso Mundial de Bruxelas.       Além da Festa Nacional da Cachaça, outra festa acontece simultaneamente à ela, a Festa da Banana. A cidade de Luiz Alves é classificada como a 2ª maior produtora de bananas do estado de Santa Catarina e a maior exportadora da fruta no Estado.

Venda De Cao De Guarda Em Lontras Sc

Conheça o Adestramento de Cães em Luiz Alves SC