Curso de Adestramento de Cães em Itacoatiara

 

 

Você você mora em Itacoatiara Amazonas
Aproveite Esta GRANDE OPORTUNIDADE para entrar no mercado de Adestramento de Cães

 

 

ATENÇÃO Veja no vídeo abaixo como um livro de apenas R$ 2,50 mudou minha vida profissional e pode MUDAR A SUA TAMBÉM

 

 

O Curso Adestramento A Jóia do Infinito é o único do mercado COM ...
* ANIMAÇÕES 3D * Presença de Aluno real * Didática de atendimento ao cliente * Simulação de adestrador atendendo cliente * Situações reais com cães desmotivados

 

Walkerdog

 

Curso Adestramento A Joia do Infinito RETORNO RÁPIDO!

Como Adestrador Formado no Curso Online do Centro Canino WalkerDog

você pode cobrar R$ 80,00 por hora de adestramento,

se fizer 4 horas por final de semana você


fatura em um único mês R$ 1280,00



 

comprar curso agora

 

compra segura hotmart

Compra 100% segura! Receba imediatamente seu acesso após a confirmação do pagamento.


hotmart

 

Veja Como Funciona o Curso

No Curso de Adestramento de Cães A Jóia do Infinito, oferecido pelo Centro Canino WalkerDog, você aprenderá as principais técnicas de Adestramento, aliando teoria e prática. O Curso é 100% online gravado em alta resolução com Animações 3D e participação de aluno real nas aulas práticas.

Aprenda também sobre o bem-estar animal, alimentação correta, psicologia e comportamento canino, interpretação da linguagem corporal dos cães, e mais:

Como evitar que o cão coma ou destrua objetos em casa;

Saiba como ensiná-lo a fazer as necessidades no local correto;

Aprenda técnicas e truques de adestramento, do básico ao avançado;

Conheça como é o treinamento de um cão de trabalho.

POR DENTRO DO CURSO

6 Módulos, mais de 20 Videoaulas com método exclusivo, animação 3D e aluno real.

CURSO 100% ONLINE

Você vai assistir no conforto da sua casa, a hora que você quiser, podendo ver e rever as aulas

AULAS REAIS

Aulas práticas gravadas com aluno real.

SUPORTE E ACOMPANHAMENTO

Você vai ter o suporte individual diretamente com o Adestrador Alex para tirar suas dúvidas através do grupo do Facebook.

CERTIFICADO DE CONCLUSÃO

Após assistir todas as aulas do curso, você receberá um lindo certificado provando a conclusão do curso, mostrando que você está preparado para trabalhar como adestrador de cães.

hotmart

 

Veja o que os alunos estão falando sobre o Curso

grade curricular

 

Conheça a GRADE CURRICULAR do curso

MÓDULO 01 APRESENTAÇÃO

  • Boas vidas e apresentação do curso de Adestramento A Jóia do Infinito

MÓDULO 02 CONHECENDO A HISTÓRIA E O COMPORTAMENTO CANINO

  • A história do relacionamento entre cães e humanos no Brasil.
  • Comportamento Canino

MÓDULO 03 ESTUDANDO OS CONCEITOS CIENTÍFICOS, E METODOLOGIAS

  • Conceitos
  • Reforço Positivo, Reforço Negativo e Punição

MÓDULO 04 DIDÁTICA PARA COM O CLIENTE E TÉCNICAS DE ADESTRAMENTO

  • Visita ao cliente, como agir
  • Entendendo o contexto para mudar o comportamento do cão
  • Carregamento do clicker

MÓDULO 05 INICIO DAS AULAS PRÁTICAS, CONCEITOS PARA EXTRAÇÃO DE COMANDOS

  • Carregar o clicker na prática
  • Como criar um aprendizado sem falhas
  • Como criar um aprendizado sem falhas, vídeo
  • Generalizando os comandos com indução (usando petisco perto do nariz como moeda de troca)
  • Carregamento da base, significado
  • Generalizando comandos troca de posições, senta, deita, de pé com contato (toque)
  • Generalizando cão inseguro
  • Descriminando comandos (descriminar é colocar comandos verbais)
  • Descriminando comandos Parte 2
  • Descriminando comandos Parte 3

MÓDULO 06 AULAS BÔNUS

  • Todo mês uma aula nova e exclusiva para os alunos

Walkerdog

 

Conheça o Adestrador Alexsandro Epping

 

Curso para Adestradores de Cães centro canino walkerdog Olá meu nome é Alexsandro Epping, sou proprietário do Centro Canino WalkerDog. Venho convidar você que assim como eu quer trabalhar com o que ama, TRABALHAR ADESTRANDO CÃES!

Sou Formado em comunicação e Marketing, atualmente curso História na Unicesumar e Gestão de Empresa na Anhanguera

Realizou os seguintes cursos:

  • Treinamento tático com cães. Local Quinto batalhão de suprimento Curitiba com Sub tenente Marcos Goes
  • Treinamento de busca e resgate com cães, faro de entorpecente, busca e captura. Local: Marau RS. Instrutores: sargento do POE Antonio Rodrigues, RS, instrutores da K9 do Uruguai, EUA e Colombia

  • Em 10 anos o instrutor Alex buscou mais de 30 cursos e seminários no Brasil e no exterior, sendo cursos e semanários no valor de R$ 2.000 a R$ 5.000,00. Como orientador na formação de adestradores de cães de guarda também se especializou na área da segurança em cursos homologados pela Polícia Federal e ainda buscou qualificação didática de e ensino superior como instrutor na formação de alunos em seguimentos como adestradores.

    Totalizando mais de R$50.000,00 investidos em conhecimento.

    E mais dezenas de cursos no qual já ganhou mérito de destaque como melhor aluno em turma de 21 alunos.

    Dados de atuação:
    O adestrador Alexsandro Epping é responsável pela formação de adestradores na WalkerDog, adestrador responsável pelo treinamento de cães condenados a eutanásia por vigilância sanitária de diversos municípios, adestrador do cães em treinamento da WalkerDog, palestrante sobre comportamento canino em várias empresas escolas técnicas e faculdades.

    Responsável pelo hotel/ creche da WalkerDog.
    Sua equipe são ex alunos de cursos da WalkerDog

     

    LEMBRA DA HISTÓRIA DO LIVRO?

    Aconteceu em 2010 ....

    Veja Como Está Nossa Estrutura HOJE!

    P.S.: não estou vendendo uma SOLUÇÃO MÁGICA, mas o conhecimento deste curso, aliado é muito trabalho e dedicação, pode se transformar em UMA JÓIA DO INFINITO

     

    Walkerdog

     

    HOJE VOCÊ TERÁ A OPORTUNIDADE ÚNICA DE ADQUIRIR O CURSO COMPLETO POR APENAS

     

    de R$ 697,00 valor normal

     

    12 x de R$ 48,42

     

    Menos de R$2,00 por dia.

     

    São MAIS DE R$ 50.000,00 investidos em conhecimento pelo adestrador Alex

    TUDO ISSO entregue no curso para você por um preço acessível

     

    comprar curso agora

     

    garantia 7 dias

     

    O RISCO é TODO MEU, Até 7 DIAS depois do pagamento, você pode cancelar por qualquer motivo, e devolvemos todo o valor pago.

    ONDE EU RECEBO O CURSO?

    Logo após a confirmação da sua compra, você irá receber no seu E-mail os dados de acesso ao curso online.

    FICOU COM ALGUMA DÚVIDA EM RELAÇÃO AO CURSO ONLINE?

    Chame nos nossos WHATSAPP (51) 9 97613537 (vivo) | (51) 9 91519690 (claro)


    Título: Curso de Adestramento de Cães em Itacoatiara Amazonas
    Criado em 28/05/2020 - Publicado em - Atualizado em 28/05/2020
    Centro Canino WalkerDog
    Centro Canino WalkerDog

    Conheça o Curso Banho e Tosa em Itacoatiara AM

    Dados de Itacoatiara - AM
    Area em km2= 8892
    Populacao = 86839
    PIB Per Capta = R$ 0

    HISTORIA
    Mapa de 1562 da região do rio Amazonas. Em 1655 é criada pelo Padre Antônio Vieira a missão Arroquis na Ilha Albi. Em 1757, os habitantes da Aldeia dos Abacaxis são transferidos para a outra margem do Rio Amazonas (margem esquerda), onde está atualmente a cidade de Itacoatiara. Na foz do rio Mataurá, afluente do Rio Madeira, Frei João Sampaio fundou, nos meados do século XVIII, o primeiro núcleo de povoamento na região do atual município. Todavia, os constantes ataques dos silvícolas e a procura de terras propícias à colonização motivaram a retirada dos habitantes para a ribeira do Canumã e mais tarde para o rio Abacaxis. Por esse último local passou, em 1755, o Capitão-general Francisco Xavier de Mendonça Furtado, Governador do Grão-Pará e Maranhão que, em carta dirigida ao Ministro de Ultramar (1758), descreveu a viagem e especificou as deliberações tomadas em sua visita às terras amazonenses. Existem controvérsias quanto à origem da povoação, pois há os que admitem ter o padre Antônio Vieira criado uma missão de Aroaquis, numa das ilhas próximas de Itacoatiara - a de Aibi, em 1655.[2] No ano de 1759 a aldeia de Itacoatiara é elevada a vila, com a denominação de Serpa, nome de origem portuguesa. Foi a terceira vila instalada no Amazonas, antecedida apenas por Borba e Barcelos. Era, então, das mais importantes aglomerações da região.[24] Suprimido o município em 1833, dois anos depois era assolado pela Cabanagem, sedição que veio a terminar em 1840.[2] A restauração verificou-se em 10 de dezembro de 1857. Mais tarde, em 1874, a vila de Serpa recebeu foros de cidade passando a denominar-se Itacoatiara. Depois de Manaus e Tefé foi a primeira localidade amazonense a ter categoria de cidade.[25] Itacoatiara, na língua Tupi-Guarani, significa pedra pintada; entretanto, segundo Antônio Cantanhede, em Outras Histórias do Amazonas, o topônimo tem a seguinte decomposição: Itá - pedra; Coati - o mamífero; Ára - o que nasce.[26] Formação administrativa[editar | editar código-fonte] Em 28 de novembro de 1830, pelo Ato Estadual nº. 45, o município de Urucará é anexado ao de Itacoatiara.[27] Em 14 de setembro de 1931, pelo Ato Estadual no. 33, o município de Urucurituba também é anexado ao de Itacoatiara.[28] Em 1935, com a reconstitucionalização do estado, Urucará e Urucurituba retornam à condição de municípios.[29] História recente[editar | editar código-fonte] Em decorrência do crescimento demográfico de Itacoatiara, que atualmente ostenta a posição da terceira cidade mais populosa do Amazonas com cerca de 100 mil habitantes, o município foi incluído à Região Metropolitana de Manaus em 2007 e vem consolidando-se como a segunda maior economia do estado.
    ECONOMIA
    Algumas informacões sobre a economia e população da cidade. A cidade de Itacoatiara localizada no estado de Amazonas tem uma área de 8892 de quilometros quadrados. A população total de Itacoatiara é de 86839 pessoas, sendo 44426 homens e 42413 mulheres. A população na área urbana de Itacoatiara AM é de 58157pessoas, já a população da árae rual é de 28682 pessoas. A Densidade demográfica de Itacoatiara AM é de 9.77. A densidade demegráfica é a medida expressada pela relação entre a população e a superfície do território, geralmente aplicada a seres humanos, mas também em outros seres vivos (comumente, animais). É geralmente expressada em habitantes por quilômetro quadrado. Veja mais no link a seguir Densidade Demográfica Wikipedia. Outra informação que temos sobre a população de Itacoatiara AM é que 35.61% tem entre 0 e 14 anos de idade; 59.36% tem entre 15 e 64 anos de idade; e 5.03% tem acima de 64 anos de idade. Conforme os dados, a maior população da cidade de Itacoatiara localizada no estado de Amazonas são as pessoas de 15 a 64 anos de idade, ou seja, existem mais adultos no município. Em termos de ecnomia isso é bom pois tem mais pessoas trabalhando e gerando riqueza para o país. Itacoatiara possui o segundo maior Produto interno bruto (PIB) dentre os municípios amazonenses, superado apenas por Manaus, estando caracterizada também como a 406ª maior economia do Brasil. Segundo dados do IBGE, em 2016 seu Produto Interno Bruto foi de R$ 2 054 829 560 e o PIB per capita era de R$ 20 860,58 mil.[71] Caracteriza-se especialmente pela indústria, além da pecuária, exploração de caça, pesca, pecuária extensiva nos campos naturais e incipiente agricultura itinerante nas terras firmes, salientando-se nos últimos anos a cultura da juta e da pimenta-do-reino.[72] Com relação a Itacoatiara, observa-se que tem muitas indústrias de fabricação de materiais de construção, produtos de beleza, alimentos, entre outras. Produção agrícola[72] Produto Quantidade (t) Mandioca 67.355 Banana 674.124 Milho 13.214 Laranja 6.325 Feijão 420 Setor primário[editar | editar código-fonte] A agricultura em Itacoatiara é uma das principais fontes de renda. O valor total do PIB total da agricultura é de R$ 620.768.090 deste fato a cidade é considerada o maior pólo agropecuário da Região Norte do Brasil.[14] Em Itacoatiara destaca-se também outros produtos como a mandioca, banana, milho, laranja, feijão, café e hortaliças.[73] O PIB agropecuário do município é o 29º maior entre os municípios brasileiros.[74] A pecuária e a pesca também constituem um forte empreendedor econômico do município, com destaque para a criação de bovinos eqüinos e suínos. Em 2009, foram registradas 283.773 bovinos efetivos no município, além de 62.897 bubalinos e 53.000 eqüinos.[75] Na pesca, as espécies mais comuns são o pacu, sardinha, curimatá, branquinha, jaraqui, matrinxã, acari-bodó e outras espécies de peixes oriundos de água doce.[73] A avicultura também concentra uma representação econômica para a cidade, existindo uma granja com criação de galinhas de postura. O extrativismo vegetal ainda é uma atividade de grande significado para a economia local, através da exploração de produtos como a borracha, pupunha e madeira. Existem diversos viveiros de peixes na localidade, voltados à criação de espécies de peixes da Amazônia.[73] Na fruticultura, produz-se no município maracujá, cupuaçu, mamão, abacaxi, banana, abacate, laranja, limão e melancia.[73] Setor secundário[editar | editar código-fonte] Tipos de Indústria de Itacoatiara Madeireira 46 % Mobiliária 16 % Construção 12 % Metalúrgica 9 % Outras 17 % A produção industrial no município está intimamente ligada à indústria local. Há indústrias voltadas a atividades agropecuárias, produção de minerais não metálicos, metalúrgica, mecânica, materiais elétricos, material de transporte, madeira, mobiliário, papel, borracha, couro, produtos farmacêuticos e veterinários, materiais plásticos, têxtil, vestuário, bebida, fumo, editorial e gráfica, calçados e construção.[73] Em 2008, havia 1.447 empresas regularizadas no município, de acordo com o IBGE, gerando cerca de 10.458 empregos diretos.[76] Setor terciário[editar | editar código-fonte] O município mantém transações comerciais com as praças de Manaus e Belém. Entre os produtos que importa aparecem em primeiro lugar gêneros alimentícios, tecidos, medicamentos, ferragens e material elétrico.[77] De acordo com dados de 2008, a sede municipal conta com 1198 estabelecimentos de comércio, gerando aproximadamente 10 458 empregos diretos com salários de R$ 93.537, uma média de 4 salários mínimos.[78]
    TURISMO
    Interior do Amazonas Referências ? a b «A cidade da Pedra Pintada - Itacoatiara». Rádio Pintada. 2011. Consultado em 26 de maio de 2011. Arquivado do original em 25 de fevereiro de 2011  ? a b c «Itacoatiara - História da cidade». City Brazil. 2008. Consultado em 17 de dezembro de 2010 [ligação inativa] ? a b Fieis preparam festa em homenagem à padroeira de Itacoatiara, no AM - G1 ? «CEP de cidades brasileiras». Correios. Consultado em 31 de Julho de 2008  ? a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 2 de fevereiro de 2018  ? «Mapas e rotas». Guia 4 Rodas. Consultado em 3 de novembro de 2011  ? a b IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010  ? «Urbanização das cidades brasileiras». Embrapa Monitoramento por Satélite. Consultado em 29 de dezembro de 2018  ? a b «Estimativa populacional 2018» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 29 de agosto de 2018  ? a b «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 11 de outubro de 2008  ? a b c d e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 28 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 10 de fevereiro de 2018  ? «Cidade de Itacoatiara». Brasil Channel. Consultado em 17 de maio de 2011  ? a b c d «Porto de Itacoatiara (AM) é o segundo maior porto fluvial do Brasil». Agroonline. Consultado em 17 de maio de 2011  ? a b «Posição ocupada pelos 100 maiores municípios em relação ao valor adicionado bruto da agropecuária e participações percentuais relativa e acumulada, segundo os municípios e as respectivas Unidades da Federação – 2008». IBGE. Consultado em 17 de maio de 2011  ? «Produto Interno Bruto dos Municípios - Itacoatiara». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 20 de fevereiro de 2019  ? «Dados gerais do município de Itacoatiara - AM». Confederação Nacional dos Municípios (CMN). Consultado em 2 de agosto de 2010  ? «Estado do Amazonas». Embrapa Monitoramento por Satélite. Consultado em 2 de agosto de 2010  ? «Frota 2016». Cidades - IBGE. Consultado em 20 de fevereiro de 2019  ? «Serviços de saúde 2009». Cidades@ - IBGE. Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? «O IDH no Brasil». Brasil Escola. Consultado em 17 de maio de 2011  ? «As 50 cidades pequenas mais desenvolvidas do Brasil». Exame. Consultado em 10 de março de 2019  ? «Itacoatiara (Amazonas)» (PDF). Histórico de Itacoatiara. IBGE. 10 de outubro de 2002. Consultado em 5 de dezembro de 2010  ? «Itacoatiara Brasil Channel». Brasil Channel. Itacoatiara. Consultado em 25 de maio de 2011  ? «Histórico da cidade de Itacoatiara». IBGE cidades @. 2010. Consultado em 25 de maio de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? «Itacoatiara». IBGE cidades @. 2010. Consultado em 25 de maio de 2011 [ligação inativa] ? «Itacoatiara AM». Mapa Vivo. 2011. Consultado em 25 de maio de 2011. Arquivado do original em 20 de janeiro de 2012  ? «Urucará - História da cidade». City Brazil. 2008. Consultado em 17 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 25 de outubro de 2013  ? «Urucurituba - História da cidade». City Brazil. 2008. Consultado em 17 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 24 de outubro de 2013  ? «Itacoatiara». Amazônia de A a Z. 2011. Consultado em 5 de junho de 2011  ? a b c «Detalhes sobre a cidade de Itacoatiara». MF Rural. Consultado em 24 de dezembro de 2010  ? «Limites de Itacoatiara». City Brazil. 2008. Consultado em 17 de dezembro de 2010 [ligação inativa] ? «Itacoatiara (AM)». Viagens Maneiras. Consultado em 22 de dezembro de 2010  ? «Rio Solimões». PortalAmazônia. 6 de setembro de 2010 [ligação inativa] ? «Fauna & Flora da Amazônia». Portal EmDiv. 6 de setembro de 2010. Consultado em 16 de maio de 2011. Arquivado do original em 15 de dezembro de 2010  ? «Vitória régia». Canal Kids. 6 de setembro de 2010  ? a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Itacoatiara». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 21 de julho de 2015  ? a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Itacoatiara». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 21 de julho de 2015  ? «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Itacoatiara». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 21 de julho de 2015  ? «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de maio de 2018  ? a b c d e f g h i j k l m n «Perfil municipal - Itacoatiara». Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico do Amazonas (SEPLAN). 2000. Consultado em 14 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 31 de Julho de 2013  ? «Itacoatiara». O Genial. 2010. Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 10 de março de 2016  ? «Itacoatiara - AM». População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 27 de novembro de 2010  ? Thiago Vieira (1999). A Velha Serpa. Do Itacoá a Itacoatiara 2ª ed. Manaus: NAEA/UFAM. 174 páginas  ? «Demografia - População Total/Itacoatiara - AM». Confederação nacional dos Municípios (CMN). Consultado em 27 de novembro de 2010  ? «Dados do Censo 2010 publicados no Diário Oficial da União/Amazonas» (pdf). IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia Estatística. 4 de novembro de 2010. Consultado em 1 de dezembro de 2010  ? «FGV - Miséria em queda» (PDF)  ? «Pnud: Brasil tem 3ª pior desigualdade do mundo - O Globo». O Globo. 2011. Consultado em 4 de junho de 2011  ? «IBGE Cidades @ ::Comparativo». IBGE. Consultado em 4 de junho de 2011  ? a b «IBGE Cidades @ ::Comparativo». IBGE. Consultado em 4 de junho de 2011  ? «IBGE Cidades @ ::Comparativo». IBGE. Consultado em 4 de junho de 2011  ? «IBGE Cidades @ ::Comparativo». IBGE. Consultado em 4 de junho de 2011  ? a b «IBGE Cidades @ ::Comparativo». IBGE. Consultado em 4 de junho de 2011  ? «IBGE Cidades @ ::Comparativo». IBGE. Consultado em 4 de junho de 2011  ? «IBGE Cidades @ ::Comparativo». IBGE. Consultado em 4 de junho de 2011  ? «A quarta raça». Japão 100. 2007. Consultado em 28 de janeiro de 2011  ? «Árabes». Wikipédia, a enciclopédia livre. 28 de abril de 2017  ? «Libaneses». Wikipédia, a enciclopédia livre. 20 de abril de 2017  ? «Judeus marroquinos que vieram para a Amazônia». Revista Morashá. Dezembro de 2010. Consultado em 28 de janeiro de 2011  ? a b «Tabela 2094 — População residente por cor ou raça e religião». IBGE. 2000. Consultado em 28 de janeiro de 2010  ? a b «Tabela 2094 — População residente por cor ou raça e religião». IBGE. 2000. Consultado em 28 de janeiro de 2011  ? a b c d «Contagem por cor, raça e religião». Ministério de Apoio com Informação. IBGE. 2010. Consultado em 14 de janeiro de 2011  ? «The Brazilian Legal System». Organization of American States (OAS) (em inglês). Consultado em 23 de dezembro de 2010  ? Flávio Henrique M. Lima (8 de fevereiro de 2006). «O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno». JusVi. Consultado em 23 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 8 de setembro de 2012  ? DJI. «Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29». Consultado em 23 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 16 de Janeiro de 2012  ? «Estado do Amazonas - Prefeitura Municipal de Itacoatiara» (PDF). Diário Oficial do Município. 31 de outubro de 2007. Consultado em 23 de dezembro de 2010 [ligação inativa] ? DJI. «Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29». Consultado em 3 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 16 de Janeiro de 2012  ? a b c d e «Símbolos Oficiais». Câmara Cidadã. Consultado em 29 de maio de 2011 [ligação inativa] ? a b «Símbolos Oficiais de Itacoatiara». Itacoatiara acontece. Consultado em 29 de maio de 2011 [ligação inativa] ? Professor Ricardo Abreu. «Hino de Itacoatiara». Consultado em 29 de maio de 2011  ? «Hino do município de Itacoatiara». Letras - Terra. Consultado em 29 de maio de 2011 [ligação inativa] ? «Produto Interno Bruto dos Municípios - Itacoatiara». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 10 de fevereiro de 2019  ? a b «Produção Agrícola». @Cidades - IBGE. Consultado em 7 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? a b c d e «Características de Itacoatiara». Consultado em 22 de dezembro de 2010  ? «100 maiores PIBs da agropecuária». 2010. Consultado em 15 de fevereiro de 2013  ? «Pecuária 2009». Cidades@ - IBGE. 2009. Consultado em 22 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? «Estatísticas do Cadastro Central de Empresas 2008». Cidades@ - IBGE. 2008. Consultado em 22 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? «Características econômicas». Feriastur. 2008. Consultado em 1 de fevereiro de 2011  ? «Estatísticas do Cadastro Central de Empresas 2008». Cidades@ - IBGE. 2008. Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? «Infra-Estrutura - Domicílios Particulares Permanentes e Moradores». Confederação nacional de municípios (CMN). Consultado em 29 de janeiro de 2011  ? «Infra-Estrutura - Abastecimento de Água». Confederação nacional de municípios (CMN). Consultado em 29 de janeiro de 2011  ? «Infra-Estrutura - Destino do Lixo». Confederação nacional de municípios (CMN). Consultado em 29 de janeiro de 2011  ? «Infra-Estrutura - Esgotamento Sanitário». Confederação nacional de municípios (CMN). Consultado em 29 de janeiro de 2011  ? «Constituição Federal do Brasil». Planalto. 14 de setembro de 2010  ? «Base de dados dos municípios» (xls). Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros-2008. Ritla. 2008. Consultado em 30 de janeiro de 2011  ? «Serviços de Saúde 2009». Cidades@ - IBGE. 2009. Consultado em 14 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? a b c «Ensino - matrículas, docentes e rede escolar 2009». @ Cidades - IBGE. Consultado em 14 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? «Acadêmicos da UEA fazem mobilização contra construção de uma obra no terreno do campus». Canal Itacoatiara. 2011. Consultado em 5 de junho de 2011. Arquivado do original em 31 de julho de 2013  ? «Campus Itacoatiara». UFAM. 2011. Consultado em 5 de junho de 2011  ? «Água demais, água de menos - Onde tem água de sobra». Editora Horizonte. Consultado em 7 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 7 de novembro de 2012  ? «Serviço de Abastecimento de Água e Esgoto (SAAE)» (PDF). Associação Amazonense de Municípios (ASAM). Consultado em 7 de fevereiro de 2011 [ligação inativa] ? a b c d e «Canais de Itacoatiara». Portal BDS. 2011. Consultado em 5 de junho de 2011 [ligação inativa] [ligação inativa] ? «Município de Itacoatiara - Informações». Grande Brasil. Consultado em 7 de fevereiro de 2011  ? «Qual a solução pra o transporte na amazônia...» (PDF). IDESAM. Consultado em 4 de junho de 2011. Arquivado do original (PDF) em 26 de novembro de 2010  ? «Dados técnicos sobre as bacias hidroviárias - Hidrovia do Solimões». Ministério dos Transportes. Consultado em 1 de fevereiro de 2011  ? «Rio Amazonas». Brasil Escola. Consultado em 5 de junho de 2011  ? Terminal Rodoviario de Itacoatiara - foursquare.com ? Guichê Virtual ? a b «Cultura da Amazônia». Portal Amazônia. Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 22 de agosto de 2009  ? a b «As Várias Faces da Amazônia: Migrações, Deslocamentos e Mobilidade Social na Região Norte». Com Ciência. Consultado em 1 de fevereiro de 2011  ? «Qual o tamanho do FECANI?». Overmundo. Consultado em 4 de junho de 2011  ? a b «Mamirauá e Projetos de Desenvolvimento Sustentável - AM». Ministério do Turismo. 3 de fevereiro de 2011. Consultado em 16 de maio de 2011. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2012  ? a b «Turismo». Prefeitura de Itacoatiara. 3 de fevereiro de 2011. Consultado em 16 de maio de 2011. Arquivado do original em 3 de março de 2016  ? «Turismo». Overmundo. 3 de fevereiro de 2011  ? «Princesa do Solimões Esporte Clube». Arquivo de Clubes. 3 de fevereiro de 2011 [ligação inativa] ? http://www.futeboldonorte.com/exibenot.php?id=33594[ligação inativa] ? http://www.bolanaarea.com/estaduais_am_2008_div2.htm ? http://www.penarol.com.br/simbolo.html[ligação inativa] ? http://www.futeboldonorte.com/exibenot.php?id=33858[ligação inativa] ? http://www.futebolamazonense.com/downloads/campeonatos/seriea2009/seriea2009-CampeonatoProfissionalde2009Regulamento.doc[ligação inativa] ? a b «CNEF - Cadastro Nacional de Estádios de Futebol» (PDF). CBF/DCO. 15 de setembro de 2009. Consultado em 21 de setembro de 2009. Arquivado do original (PDF) em 23 de Janeiro de 2010  ? «Anexo III - Feriados Municipais» (pdf). Associação do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte (AMPERN). Consultado em 26 de março de 2011  ? Sérgio Ferreira Pantaleão. «Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual». Guia Trabalhista. Consultado em 3 de março de 2011  ? «Lei Nº 9.093, de 12 de setembro de 1995». Presidência da República. Consultado em 26 de março de 2011 

    Curso De Adestramento De Caes Itacare Ba

    Sobre Cursos EAD

    Desde 2005, quando os diplomas de alunos formados em cursos a distância tornaram-se equivalentes aos de cursos presenciais, essa opção teve um forte crescimento. Atualmente, cerca de um milhão de alunos estão fazendo graduações nessa modalidade de ensino, em 108 instituições - a maioria privadas - credenciadas pelo Ministério da Educação (MEC).

    Ao contrário do que muitos pensam, fazer curso a distância não é uma "moleza", embora ofereça maior flexibilidade do que um curso presencial. Na modalidade a distância, o interesse, o esforço e a disciplina do aluno são fatores essenciais para a um bom aproveitamento e conclusão do curso.

    Não há um modelo único de educação a distância. Os programas podem apresentar diferentes desenhos e múltiplas combinações de linguagens e recursos educacionais e tecnológicos. A natureza do curso é que irá definir a tecnologia e a metodologia: momentos presenciais (são obrigatórios por lei), estágios supervisionados, práticas em laboratórios de ensino, trabalhos de conclusão de curso, quando for o caso, tutorias presenciais e outras estratégias são adotadas.

    A maior parte dos cursos no Brasil funcionam com uma plataforma na internet, onde os alunos acessam as aulas e os conteúdos, complementada por apostilas ou livros impressos, e pólos presenciais que contam com professores tutores para tirar dúvidas. O sistema de avaliações muda bastante de instituição para instituição, mas 58% delas usam provas escritas presenciais.