Curso de Adestramento de Cães em Manacapuru

 

 

Você você mora em Manacapuru Amazonas
Aproveite Esta GRANDE OPORTUNIDADE para entrar no mercado de Adestramento de Cães

 

 

ATENÇÃO Veja no vídeo abaixo como um livro de apenas R$ 2,50 mudou minha vida profissional e pode MUDAR A SUA TAMBÉM

 

 

O Curso Adestramento A Jóia do Infinito é o único do mercado COM ...
* ANIMAÇÕES 3D * Presença de Aluno real * Didática de atendimento ao cliente * Simulação de adestrador atendendo cliente * Situações reais com cães desmotivados

 

Walkerdog

 

Curso Adestramento A Joia do Infinito RETORNO RÁPIDO!

Como Adestrador Formado no Curso Online do Centro Canino WalkerDog

você pode cobrar R$ 80,00 por hora de adestramento,

se fizer 4 horas por final de semana você


fatura em um único mês R$ 1280,00



 

comprar curso agora

compra segura hotmart

Compra 100% segura! Receba imediatamente seu acesso após a confirmação do pagamento.


hotmart

 

Veja Como Funciona o Curso

No Curso de Adestramento de Cães A Jóia do Infinito, oferecido pelo Centro Canino WalkerDog, você aprenderá as principais técnicas de Adestramento, aliando teoria e prática. O Curso é 100% online gravado em alta resolução com Animações 3D e participação de aluno real nas aulas práticas.

Aprenda também sobre o bem-estar animal, alimentação correta, psicologia e comportamento canino, interpretação da linguagem corporal dos cães, e mais:

Como evitar que o cão coma ou destrua objetos em casa;

Saiba como ensiná-lo a fazer as necessidades no local correto;

Aprenda técnicas e truques de adestramento, do básico ao avançado;

Conheça como é o treinamento de um cão de trabalho.

POR DENTRO DO CURSO

6 Módulos, mais de 20 Videoaulas com método exclusivo, animação 3D e aluno real.

CURSO 100% ONLINE

Você vai assistir no conforto da sua casa, a hora que você quiser, podendo ver e rever as aulas

AULAS REAIS

Aulas práticas gravadas com aluno real.

SUPORTE E ACOMPANHAMENTO

Você vai ter o suporte individual diretamente com o Adestrador Alex para tirar suas dúvidas através do grupo do Facebook.

CERTIFICADO DE CONCLUSÃO

Após assistir todas as aulas do curso, você receberá um lindo certificado provando a conclusão do curso, mostrando que você está preparado para trabalhar como adestrador de cães.

hotmart

 

Veja o que os alunos estão falando sobre o Curso

grade curricular

 

Conheça a GRADE CURRICULAR do curso

MÓDULO 01 APRESENTAÇÃO

  • Boas vidas e apresentação do curso de Adestramento A Jóia do Infinito

MÓDULO 02 CONHECENDO A HISTÓRIA E O COMPORTAMENTO CANINO

  • A história do relacionamento entre cães e humanos no Brasil.
  • Comportamento Canino

MÓDULO 03 ESTUDANDO OS CONCEITOS CIENTÍFICOS, E METODOLOGIAS

  • Conceitos
  • Reforço Positivo, Reforço Negativo e Punição

MÓDULO 04 DIDÁTICA PARA COM O CLIENTE E TÉCNICAS DE ADESTRAMENTO

  • Visita ao cliente, como agir
  • Entendendo o contexto para mudar o comportamento do cão
  • Carregamento do clicker

MÓDULO 05 INICIO DAS AULAS PRÁTICAS, CONCEITOS PARA EXTRAÇÃO DE COMANDOS

  • Carregar o clicker na prática
  • Como criar um aprendizado sem falhas
  • Como criar um aprendizado sem falhas, vídeo
  • Generalizando os comandos com indução (usando petisco perto do nariz como moeda de troca)
  • Carregamento da base, significado
  • Generalizando comandos troca de posições, senta, deita, de pé com contato (toque)
  • Generalizando cão inseguro
  • Descriminando comandos (descriminar é colocar comandos verbais)
  • Descriminando comandos Parte 2
  • Descriminando comandos Parte 3

MÓDULO 06 AULAS BÔNUS

  • Todo mês uma aula nova e exclusiva para os alunos

Walkerdog

 

Conheça o Adestrador Alexsandro Epping

 

Curso para Adestradores de Cães centro canino walkerdog Olá meu nome é Alexsandro Epping, sou proprietário do Centro Canino WalkerDog. Venho convidar você que assim como eu quer trabalhar com o que ama, TRABALHAR ADESTRANDO CÃES!

Sou Formado em comunicação e Marketing, atualmente curso História na Unicesumar e Gestão de Empresa na Anhanguera

Realizou os seguintes cursos:

  • Treinamento tático com cães. Local Quinto batalhão de suprimento Curitiba com Sub tenente Marcos Goes
  • Treinamento de busca e resgate com cães, faro de entorpecente, busca e captura. Local: Marau RS. Instrutores: sargento do POE Antonio Rodrigues, RS, instrutores da K9 do Uruguai, EUA e Colombia

  • Em 10 anos o instrutor Alex buscou mais de 30 cursos e seminários no Brasil e no exterior, sendo cursos e semanários no valor de R$ 2.000 a R$ 5.000,00. Como orientador na formação de adestradores de cães de guarda também se especializou na área da segurança em cursos homologados pela Polícia Federal e ainda buscou qualificação didática de e ensino superior como instrutor na formação de alunos em seguimentos como adestradores.

    Totalizando mais de R$50.000,00 investidos em conhecimento.

    E mais dezenas de cursos no qual já ganhou mérito de destaque como melhor aluno em turma de 21 alunos.

    Dados de atuação:
    O adestrador Alexsandro Epping é responsável pela formação de adestradores na WalkerDog, adestrador responsável pelo treinamento de cães condenados a eutanásia por vigilância sanitária de diversos municípios, adestrador do cães em treinamento da WalkerDog, palestrante sobre comportamento canino em várias empresas escolas técnicas e faculdades.

    Responsável pelo hotel/ creche da WalkerDog.
    Sua equipe são ex alunos de cursos da WalkerDog

     

    LEMBRA DA HISTÓRIA DO LIVRO?

    Aconteceu em 2010 ....

    Veja Como Está Nossa Estrutura HOJE!

    P.S.: não estou vendendo uma SOLUÇÃO MÁGICA, mas o conhecimento deste curso, aliado é muito trabalho e dedicação, pode se transformar em UMA JÓIA DO INFINITO

     

    Walkerdog

     

    HOJE VOCÊ TERÁ A OPORTUNIDADE ÚNICA DE ADQUIRIR O CURSO COMPLETO POR APENAS

     

    de R$ 697,00 valor normal

     

    12 x de R$ 48,42

     

    Menos de R$2,00 por dia.

     

    São MAIS DE R$ 50.000,00 investidos em conhecimento pelo adestrador Alex

    TUDO ISSO entregue no curso para você por um preço acessível

     

    comprar curso agora

     

    garantia 7 dias

     

    O RISCO é TODO MEU, Até 7 DIAS depois do pagamento, você pode cancelar por qualquer motivo, e devolvemos todo o valor pago.

    ONDE EU RECEBO O CURSO?

    Logo após a confirmação da sua compra, você irá receber no seu E-mail os dados de acesso ao curso online.

    FICOU COM ALGUMA DÚVIDA EM RELAÇÃO AO CURSO ONLINE?

    Chame nos nossos WHATSAPP (51) 9 97613537 (vivo) | (51) 9 91519690 (claro)


    Título: Curso de Adestramento de Cães em Manacapuru Amazonas
    Criado em 28/05/2020 - Publicado em - Atualizado em 28/05/2020
    Centro Canino WalkerDog
    Centro Canino WalkerDog

    Conheça o Curso Banho e Tosa em Manacapuru AM

    Dados de Manacapuru - AM
    Area em km2= 7330
    Populacao = 85141
    PIB Per Capta = R$ 0

    HISTORIA
    Ver artigo principal: História de Manacapuru Os índios muras, antigos habitantes da região, habitavam a área que pertence ao município de Manacapuru, já no século XVII. Os muras eram conhecidos pelos portugueses como índios belicosos e hostis, motivo pelo qual foram alvos da pacificação imposta por Matias Fernandes a partir de 1774. Matias Fernandes era diretor da aldeia de Santo Antônio do Imaripi, situada no Japurá, muito distante da região.[17] Os muras também tornaram-se conhecidos por integrarem a luta com os cabanos em meados do século XIX, no movimento que ficou conhecido como Cabanagem.[2] Por conta da grande distância de Japurá à localização dos muras, por volta de 1785 já existia, à margem do rio Solimões, pouco abaixo da foz do rio Manacapuru, uma feitoria de pesca denominada Caldeirão, cuja produção era destinada ao abastecimento da guarnição militar sediada em Barcelos, que a essa época era sede da capitania. A feitoria de pesca era administrada por Sebastião Pereira de Castro.[17] Sebastião Pereira de Castro comunicou ao general Pereira Caldas a grande migração de índios muras vindos de outras regiões para a localidade. Segundo Castro, em 27 de setembro daquele ano, haviam chegado ali um "grosso número de gentio mura", que desejavam estabelecer-se nas vizinhanças. Em resposta a essa comunicação, o general Pereira Caldas recomendou que os índios fossem deslocados para o povoado de Anamã - que mais tarde viria a ser um município - ou um outro lugar designado pelo administrador. O local escolhido para o estabelecimento dos muras foi a margem do lago Manacapuru. Ali, cerca de 290 indígenas muras se estabeleceram em 15 de fevereiro de 1786, edificando assim, a povoação que recebeu o nome de Manacapuru, nome este pertencente ao lago.[17] Formação administrativa[editar | editar código-fonte] A Freguesia de Nossa Senhora de Nazaré de Manacapuru foi criada em 12 de agosto de 1865, a partir da lei n.° 148. A freguesia tinha sede no povoado de Manacapuru. Com a lei n.° 83, de 27 de setembro de 1894, criou-se o município de Manacapuru, com território desmembrado do município de Manaus. A instalação só ocorreu em 16 de junho de 1895.[17] A Comarca de Manacapuru foi criada pela lei n.° 354 de 10 de setembro de 1901. Através da lei n.° 1.126 de 5 de novembro de 1921, a comarca foi extinta, e só restabelecida no ano seguinte, em 1922, por força da lei n.° 1.133 de 7 de fevereiro.[17] Foi concedido ao município foros de cidade em 16 de julho de 1932, com o ato estadual n.° 1.639. Com a divisão administrativa vigente em dezembro de 1959, três distritos formavam o município: Manacapuru, Beruri e Caapiranga,[17] sendo que os três já foram emancipados.[18][19] Atualmente, o município possui apenas o distrito de Caviana, o qual também já teve proposta, em 2010, sua emancipação, juntamente com outros vinte e sete distritos no estado do Amazonas.[20] História recente[editar | editar código-fonte] Em decorrência do crescimento demográfico de Manacapuru, que atualmente ostenta a posição de quarta cidade mais populosa do Amazonas e uma das maiores em população da região norte, o município foi incluído à Região Metropolitana de Manaus em 2008.[21] Possui atualmente área de 7,329 quilômetros quadrados.[4] e seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,663.
    ECONOMIA
    Algumas informacões sobre a economia e população da cidade. A cidade de Manacapuru localizada no estado de Amazonas tem uma área de 7330.1 de quilometros quadrados. A população total de Manacapuru é de 85141 pessoas, sendo 43461 homens e 41680 mulheres. A população na área urbana de Manacapuru AM é de 60174pessoas, já a população da árae rual é de 24967 pessoas. A Densidade demográfica de Manacapuru AM é de 11.62. A densidade demegráfica é a medida expressada pela relação entre a população e a superfície do território, geralmente aplicada a seres humanos, mas também em outros seres vivos (comumente, animais). É geralmente expressada em habitantes por quilômetro quadrado. Veja mais no link a seguir Densidade Demográfica Wikipedia. Outra informação que temos sobre a população de Manacapuru AM é que 36.87% tem entre 0 e 14 anos de idade; 58.25% tem entre 15 e 64 anos de idade; e 4.88% tem acima de 64 anos de idade. Conforme os dados, a maior população da cidade de Manacapuru localizada no estado de Amazonas são as pessoas de 15 a 64 anos de idade, ou seja, existem mais adultos no município. Em termos de ecnomia isso é bom pois tem mais pessoas trabalhando e gerando riqueza para o país. Caracteriza-se especialmente pela coleta de borracha e castanha, exploração de caça, pesca, pecuária extensiva nos campos naturais e incipiente agricultura itinerante nas terras firmes, salientando-se nos últimos anos a cultura da juta e da pimenta-do-reino. Com relação a Manacapuru, observa-se que, embora tenha nas indústrias extrativas animal e vegetal expressiva fonte de riqueza, é a agricultura, em particular a cultura da Juta, a base econômica do município. Produção agrícola[50] Produto Quantidade (t) Mandioca 31.622 Banana 1.666 Milho 1.344 Laranja 692 Feijão 17 Setor primário[editar | editar código-fonte] O Amazonas é o maior produtor de fibras do Brasil , com participação de 87% da produção nacional (IBGE -PAM/2014). Os maiores produtores da fibra no Amazonas são da região das Calhas dos Rios Negro e Solimões, como Manacapuru , Anamã , Autazes , Careiro , Careiro da Várzea, Vila Rica de Caviana, Caapiranga , Iranduba, Manaquiri, Novo Airão , Rio Preto da Eva, Manaus, Beruri, Coari, Codajás e Anori . A produção total desses municípios anualmente varia de 20 a 200 toneladas de juta , e de Malva gira em torno de 100 a 744 toneladas. Manacapuru e Beruri se destacam com a produção média de 70 a 100 toneladas de juta. [51] A agricultura em Manacapuru é uma das principais fontes econômicas. O município é o maior produtor nacional de juta, tendo destaque também para outros produtos como a mandioca, banana, milho, laranja, feijão, café e hortaliças.[52] A pecuária e a pesca também constituem um forte empreendedor econômico do município, com destaque para a criação de bovinos eqüinos e suínos. Em 2009, foram registradas 20.568 bovinos efetivos no município, além de 639 bubalinos e 294 eqüinos.[53] Na pesca, as as espécies mais comuns são o pacu, sardinha, curimatá, branquinha, jaraqui, matrinxã, acari-bodó e outras espécies de peixes oriundos de água doce.[52] A avicultura também concentra uma representação econômica para a cidade, existindo uma granja com criação de galinhas de postura. O extrativismo vegetal ainda é uma atividade de grande significado para a economia local, através da exploração de produtos como a borracha, pupunha e madeira. Existem diversos viveiros de peixes na localidade, voltados à criação de espécies de peixes da Amazônia.[52] Na fruticultura, produz-se no município maracujá, cupuaçu, mamão, abacaxi, banana, abacate, laranja, limão e melancia.[52] Setor secundário[editar | editar código-fonte] A produção industrial no município está intimamente ligada à agricultura e à indústria extrativa local. Há indústrias voltadas a atividades agropecuárias, produção de minerais não metálicos, metalúrgica, mecânica, materiais elétricos, material de transporte, madeira, mobiliário, papel, borracha, couro, produtos farmacêuticos e veterinários, materiais plásticos, têxtil, vestuário, bebida, fumo, editorial e gráfica, calçados e construção.[52] Em 2008, havia 918 empresas regularizadas no município, de acordo com o IBGE, gerando cerca de 4.850 empregos diretos.[54] Setor terciário[editar | editar código-fonte] O município mantém transações comerciais com as praças de Manaus e Belém. Entre os produtos que importa aparecem em primeiro lugar gêneros alimentícios, tecidos, medicamentos, ferragens e material elétrico.[55] De acordo com dados de 2008, a sede municipal conta com 918 estabelecimentos de comércio, gerando aproximadamente 4 850 empregos diretos com salários de R$ 71.537, uma média de 3,3 salários mínimos.[56]
    TURISMO
    ? https://www.dicionarioinformal.com.br/manacapuru/ / ? a b c d e f g h Prefeitura Municipal de Manacapuru (2011). «A princesinha - Manacapuru». Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 8 de fevereiro de 2012  ? a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008  ? a b IBGE; IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010  ? «Estimativa populacional 2018» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 29 de agosto de 2018  ? «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 3 de agosto de 2013  ? a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 28 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 10 de fevereiro de 2018  ? «IBGE cidades: Manacapuru». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 25 de setembro de 2018  ? «Distância entre Manaus e Manacapuru». www.distanciasentrecidades.com. Consultado em 23 de agosto de 2018  ? «Ponte Rio Negro é um marco na integração da Região Metropolitana». Amazonas. 24 de outubro de 2011  ? Confederação Nacional dos Municípios (CMN). «Dados gerais do município de Manacapuru (AM)». Consultado em 15 de dezembro de 2010  ? SEPLAN. «Frota 2009». Consultado em 2 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 16 de junho de 2010  ? Cidades@ - IBGE. «Serviços de saúde 2009». Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? a b c Prefeitura Municipal de Manacapuru. «A Princesinha». Consultado em 23 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 8 de fevereiro de 2012  ? «História de Manacapuru, AM». Ache tudo e Região. 2008. Consultado em 14 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 30 de maio de 2017  ? https://www.dicionarioinformal.com.br/manacapuru/ ? a b c d e f «Manacapuru - História da cidade». City Brazil. 2008. Consultado em 17 de dezembro de 2010 [ligação inativa] ? «Beruri - História da cidade». City Brazil. 2008. Consultado em 17 de dezembro de 2010 [ligação inativa] ? «Caapiranga - História da cidade». City Brazil. 2008. Consultado em 17 de dezembro de 2010 [ligação inativa] ? «Deputados visitam nesta segunda-feira distrito de Manacapuru que quer se emancipar». CBN Manaus. 12 de dezembro de 2010. Consultado em 8 de fevereiro de 2011  ? «Senac vai promover o workshop em Manacapuru e Parintins» ??. Portal Amazônia. 26 de maio de 2010. Consultado em 17 de dezembro de 2010 [ligação inativa] ? Erro de citação: Código inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome :0 ? a b c «Detalhes sobre a cidade de Manacapuru». MF Rural. Consultado em 24 de dezembro de 2010  ? a b c d e f g «Dados Gerais: Limites de Manacapuru». City Brazil. 2010. Consultado em 17 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2015  ? INPE/CPTEC. «Temperatura máxima em outubro de 1958 (Bela Vista/Manacapuru - BRA)». BDC (Bancos de dados climatológicos). Consultado em 9 de fevereiro de 2011 [ligação inativa] ? INPE/CPTEC. «Temperatura mínima em julho de 1958 (Bela Vista/Manacapuru - BRA)». BDC (Bancos de dados climatológicos). Consultado em 9 de fevereiro de 2011 [ligação inativa] ? INPE/CPTEC. «Precipitação acumulada em dezembro de 1958 (Bela Vista/Manacapuru - BRA)». BDC (Bancos de dados climatológicos). Consultado em 9 de fevereiro de 2011 [ligação inativa] ? Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). «Climatologia de Manacapuru». Tempo Agora. Consultado em 7 de fevereiro de 2011  ? «Manacapuru (AM)». Viagens Maneiras. Consultado em 22 de dezembro de 2010  ? «Rio Solimões». PortalAmazônia. 6 de setembro de 2010 [ligação inativa] ? «Fauna & Flora da Amazônia». Portal EmDiv. 6 de setembro de 2010. Consultado em 7 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 15 de dezembro de 2010  ? a b Revista Eletrônica Aboré - Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Manaus Edição 03/2007 ? «Vitória régia». Canal Kids. 6 de setembro de 2010  ? «Censo Demográfico 2010». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 5 de dezembro de 2010  ? a b c d e f g h i j Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico do Amazonas (SEPLAN) (2000). «Perfil municipal - Manacapuru». Consultado em 14 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 6 de Fevereiro de 2012  ? O Genial (2010). «Manacapuru». Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 4 de março de 2016  ? «A quarta raça». Japão 100. 2007. Consultado em 28 de janeiro de 2011  ? a b «Judeus marroquinos que vieram para a Amazônia». Revista Morashá. Dezembro de 2010. Consultado em 28 de janeiro de 2011  ? a b «Tabela 2094 — População residente por cor ou raça e religião». IBGE. 2000. Consultado em 28 de janeiro de 2010  ? a b «Tabela 2094 — População residente por cor ou raça e religião». IBGE. 2000. Consultado em 28 de janeiro de 2011  ? a b c d e IBGE - através do Ministério de Apoio com Informação (2010). «Contagem por cor, raça e religião». Consultado em 14 de janeiro de 2011  ? Cristiane Agostine (8 de outubro de 2009). «Senado aprova acordo com o Vaticano». O Globo. Consultado em 12 de outubro de 2010  ? Fernando Fonseca de Queiroz (Outubro de 2005). «Brasil: Estado laico e a inconstitucionalidade da existência de símbolos religiosos em prédios públicos». Jus Navigandi. Consultado em 12 de outubro de 2010. Arquivado do original em 23 de Dezembro de 2009  ? Organization of American States (OAS). «The Brazilian Legal System» (em inglês). Consultado em 23 de dezembro de 2010  ? Flávio Henrique M. Lima (8 de fevereiro de 2006). «O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno». JusVi. Consultado em 23 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 8 de setembro de 2012  ? DJI. «Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29». Consultado em 23 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 16 de Janeiro de 2012  ? DJI. «Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29». Consultado em 3 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 16 de Janeiro de 2012  ? Diário Oficial do Município (31 de outubro de 2007). «Estado do Amazonas - Prefeitura Municipal de Manacapuru» (PDF). Consultado em 23 de dezembro de 2010. Arquivado do original (PDF) em 12 de dezembro de 2012  ? Cidades. «Informações sobre Manacapuru». Consultado em 3 de fevereiro de 2011  ? @Cidades - IBGE. «Produção Agrícola». Consultado em 7 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? https://correiodaamazonia.com/governador-fara-repasse-produtores-da-malva-e-da-juta-em-manacapuru/ ? a b c d e «Características de Manacapuru». Consultado em 22 de dezembro de 2010  ? Cidades@ - IBGE (2009). «Pecuária 2009». Consultado em 22 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? Cidades@ - IBGE (2008). «Estatísticas do Cadastro Central de Empresas 2008». Consultado em 22 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? Feriastur (2008). «Características econômicas». Consultado em 1 de fevereiro de 2011  ? Cidades@ - IBGE (2008). «Estatísticas do Cadastro Central de Empresas 2008». Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? Confederação nacional de municípios (CMN). «Infra-Estrutura - Domicílios Particulares Permanentes e Moradores». Consultado em 29 de janeiro de 2011  ? Confederação nacional de municípios (CMN). «Infra-Estrutura - Abastecimento de Água». Consultado em 29 de janeiro de 2011  ? Confederação nacional de municípios (CMN). «Infra-Estrutura - Destino do Lixo». Consultado em 29 de janeiro de 2011  ? Confederação nacional de municípios (CMN). «Infra-Estrutura - Esgotamento Sanitário». Consultado em 29 de janeiro de 2011  ? «Constituição Federal do Brasil». Planalto. 14 de setembro de 2010  ? Ritla (2008). «Base de dados dos municípios» (xls). Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros-2008. Consultado em 30 de janeiro de 2011  ? Cidades@ - IBGE (2009). «Serviços de Saúde 2009». Consultado em 14 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? a b c @ Cidades - IBGE. «Ensino - matrículas, docentes e rede escolar 2009». Consultado em 14 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 30 de Abril de 2012  ? Blog da Floresta. «Manacapuru vai sediar o Centro Metropolitano de Estudos Superiores da UEA». Consultado em 14 de janeiro de 2011 [ligação inativa] ? Ecoviagem - UOL. «Rondonistas ensinam ribeirinhos a fazer a filtragem artesanal de água no Amazonas». Consultado em 9 de fevereiro de 2011  ? Editora Horizonte. «Água demais, água de menos - Onde tem água de sobra». Consultado em 7 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 7 de novembro de 2012  ? Associação Amazonense de Municípios (ASAM). «Serviço de Abastecimento de Água e Esgoto (SAAE)» (PDF). Consultado em 7 de fevereiro de 2011 [ligação inativa] ? Grande Brasil. «Município de Manacapuru - Informações». Consultado em 7 de fevereiro de 2011  ? Ministério dos Transportes. «Dados técnicos sobre as bacias hidroviárias - Hidrovia do Solimões». Consultado em 1 de fevereiro de 2011  ? Manaus em Notícia. «Entra em operação as atracações de barcos no Terminal Hidroviário de Manacapuru». Consultado em 1 de fevereiro de 2011 [ligação inativa] ? A Crítica (4 de novembro de 2010). «Ponte Rio Negro pode ficar para 2011». Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 2 de junho de 2011  ? a b «Cultura da Amazônia». Portal Amazônia. Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 22 de agosto de 2009  ? a b «As Várias Faces da Amazônia: Migrações, Deslocamentos e Mobilidade Social na Região Norte». Com Ciência. Consultado em 1 de fevreiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda) ? Portal Amazônia (30 de agosto de 2010). «Manacapuru». Consultado em 3 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 7 de março de 2010  ? Portal Daniela Mercury (31 de agosto de 2010). «Daniela Mercury acompanha o projeto Caravana da Música em Manacapuru». Consultado em 3 de fevereiro de 2011 [ligação inativa] ? a b Portal Amazônia. (30 de agosto de 2010.). «Histórico do Festival de Cirandas de Manacapuru». Consultado em 3 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 7 de março de 2010  Verifique data em: |data= (ajuda) ? Portal Amazônia. (30 de agosto de 2010.). «Três cirandas são declaradas vencedoras do Festival de Manacapuru.». Consultado em 3 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |data= (ajuda)[ligação inativa] ? https://portaldeparintins.com.br/2017/12/02/manacapuru-espera-receber-90-mil-pessoas-durante-o-festival-de-cirandas/ ? a b «Mamirauá e Projetos de Desenvolvimento Sustentável - AM». Ministério do Turismo. 3 de fevereiro de 2011. Consultado em 3 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2012  ? a b c d e f «Turismo». Prefeitura de Manacapuru. 3 de fevereiro de 2011. Consultado em 3 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 29 de julho de 2012  ? http://guiamanacapuru.blogspot.com/2016/04/igreja-nossa-senhora-de-nazare.html?m=1. ? https://amazonianarede.com.br/de-a-restauracao-ao-sesc-a-historia-de-um-predio-simbolo-de-manacapuru/ ? a b c d «Princesa do Solimões Esporte Clube». Arquivo de Clubes. 3 de fevereiro de 2011. Consultado em 3 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 26 de novembro de 2010 

    Curso De Adestramento De Caes Mampituba Rs

    Sobre Cursos EAD

    Educação a distância (em inglês: distance education) é uma modalidade de educação mediada por tecnologias em que discentes e docentes estão separados espacial e/ou temporalmente, ou seja, não estão fisicamente presentes em um ambiente presencial de ensino-aprendizagem.

    A EaD, em sua forma empírica, é conhecida desde o século XIX. Entretanto, somente nas últimas décadas passou a fazer parte das atenções pedagógicas. Ela surgiu da necessidade do preparo profissional e cultural de milhões de pessoas que, por vários motivos, não podiam frequentar um estabelecimento de ensino presencial, e evoluiu com as tecnologias disponíveis em cada momento histórico, as quais influenciam o ambiente educativo e a sociedade.

    A EaD também é considerada um recurso que contempla as necessidades de desenvolvimento da autonomia do aluno. O desenvolvimento da autonomia é considerado, por teóricos tais como Jean Piaget e Constance Kamii, peça chave do processo de aprendizagem, no qual o aluno é o foco e o professor possui papel secundário, pois apenas orienta o aluno que por sua vez escolhe o ritmo e a maneira como quer estudar e aprender, de acordo com suas necessidades pessoais.