Curso de Adestramento de Cães em Bataguassu

 

 

Você você mora em Bataguassu Mato Grosso do Sul
Aproveite Esta GRANDE OPORTUNIDADE para entrar no mercado de Adestramento de Cães

 

 

ATENÇÃO Veja no vídeo abaixo como um livro de apenas R$ 2,50 mudou minha vida profissional e pode MUDAR A SUA TAMBÉM

 

 

O Curso Adestramento A Jóia do Infinito é o único do mercado COM ...
* ANIMAÇÕES 3D * Presença de Aluno real * Didática de atendimento ao cliente * Simulação de adestrador atendendo cliente * Situações reais com cães desmotivados

 

Walkerdog

 

Curso Adestramento A Joia do Infinito RETORNO RÁPIDO!

Como Adestrador Formado no Curso Online do Centro Canino WalkerDog

você pode cobrar R$ 80,00 por hora de adestramento,

se fizer 4 horas por final de semana você


fatura em um único mês R$ 1280,00



 

comprar curso agora

compra segura hotmart

Compra 100% segura! Receba imediatamente seu acesso após a confirmação do pagamento.


hotmart

 

Veja Como Funciona o Curso

No Curso de Adestramento de Cães A Jóia do Infinito, oferecido pelo Centro Canino WalkerDog, você aprenderá as principais técnicas de Adestramento, aliando teoria e prática. O Curso é 100% online gravado em alta resolução com Animações 3D e participação de aluno real nas aulas práticas.

Aprenda também sobre o bem-estar animal, alimentação correta, psicologia e comportamento canino, interpretação da linguagem corporal dos cães, e mais:

Como evitar que o cão coma ou destrua objetos em casa;

Saiba como ensiná-lo a fazer as necessidades no local correto;

Aprenda técnicas e truques de adestramento, do básico ao avançado;

Conheça como é o treinamento de um cão de trabalho.

POR DENTRO DO CURSO

6 Módulos, mais de 20 Videoaulas com método exclusivo, animação 3D e aluno real.

CURSO 100% ONLINE

Você vai assistir no conforto da sua casa, a hora que você quiser, podendo ver e rever as aulas

AULAS REAIS

Aulas práticas gravadas com aluno real.

SUPORTE E ACOMPANHAMENTO

Você vai ter o suporte individual diretamente com o Adestrador Alex para tirar suas dúvidas através do grupo do Facebook.

CERTIFICADO DE CONCLUSÃO

Após assistir todas as aulas do curso, você receberá um lindo certificado provando a conclusão do curso, mostrando que você está preparado para trabalhar como adestrador de cães.

hotmart

 

Veja o que os alunos estão falando sobre o Curso

grade curricular

 

Conheça a GRADE CURRICULAR do curso

MÓDULO 01 APRESENTAÇÃO

  • Boas vidas e apresentação do curso de Adestramento A Jóia do Infinito

MÓDULO 02 CONHECENDO A HISTÓRIA E O COMPORTAMENTO CANINO

  • A história do relacionamento entre cães e humanos no Brasil.
  • Comportamento Canino

MÓDULO 03 ESTUDANDO OS CONCEITOS CIENTÍFICOS, E METODOLOGIAS

  • Conceitos
  • Reforço Positivo, Reforço Negativo e Punição

MÓDULO 04 DIDÁTICA PARA COM O CLIENTE E TÉCNICAS DE ADESTRAMENTO

  • Visita ao cliente, como agir
  • Entendendo o contexto para mudar o comportamento do cão
  • Carregamento do clicker

MÓDULO 05 INICIO DAS AULAS PRÁTICAS, CONCEITOS PARA EXTRAÇÃO DE COMANDOS

  • Carregar o clicker na prática
  • Como criar um aprendizado sem falhas
  • Como criar um aprendizado sem falhas, vídeo
  • Generalizando os comandos com indução (usando petisco perto do nariz como moeda de troca)
  • Carregamento da base, significado
  • Generalizando comandos troca de posições, senta, deita, de pé com contato (toque)
  • Generalizando cão inseguro
  • Descriminando comandos (descriminar é colocar comandos verbais)
  • Descriminando comandos Parte 2
  • Descriminando comandos Parte 3

MÓDULO 06 AULAS BÔNUS

  • Todo mês uma aula nova e exclusiva para os alunos

Walkerdog

 

Conheça o Adestrador Alexsandro Epping

 

Curso para Adestradores de Cães centro canino walkerdog Olá meu nome é Alexsandro Epping, sou proprietário do Centro Canino WalkerDog. Venho convidar você que assim como eu quer trabalhar com o que ama, TRABALHAR ADESTRANDO CÃES!

Sou Formado em comunicação e Marketing, atualmente curso História na Unicesumar e Gestão de Empresa na Anhanguera

Realizou os seguintes cursos:

  • Treinamento tático com cães. Local Quinto batalhão de suprimento Curitiba com Sub tenente Marcos Goes
  • Treinamento de busca e resgate com cães, faro de entorpecente, busca e captura. Local: Marau RS. Instrutores: sargento do POE Antonio Rodrigues, RS, instrutores da K9 do Uruguai, EUA e Colombia

  • Em 10 anos o instrutor Alex buscou mais de 30 cursos e seminários no Brasil e no exterior, sendo cursos e semanários no valor de R$ 2.000 a R$ 5.000,00. Como orientador na formação de adestradores de cães de guarda também se especializou na área da segurança em cursos homologados pela Polícia Federal e ainda buscou qualificação didática de e ensino superior como instrutor na formação de alunos em seguimentos como adestradores.

    Totalizando mais de R$50.000,00 investidos em conhecimento.

    E mais dezenas de cursos no qual já ganhou mérito de destaque como melhor aluno em turma de 21 alunos.

    Dados de atuação:
    O adestrador Alexsandro Epping é responsável pela formação de adestradores na WalkerDog, adestrador responsável pelo treinamento de cães condenados a eutanásia por vigilância sanitária de diversos municípios, adestrador do cães em treinamento da WalkerDog, palestrante sobre comportamento canino em várias empresas escolas técnicas e faculdades.

    Responsável pelo hotel/ creche da WalkerDog.
    Sua equipe são ex alunos de cursos da WalkerDog

     

    LEMBRA DA HISTÓRIA DO LIVRO?

    Aconteceu em 2010 ....

    Veja Como Está Nossa Estrutura HOJE!

    P.S.: não estou vendendo uma SOLUÇÃO MÁGICA, mas o conhecimento deste curso, aliado é muito trabalho e dedicação, pode se transformar em UMA JÓIA DO INFINITO

     

    Walkerdog

     

    HOJE VOCÊ TERÁ A OPORTUNIDADE ÚNICA DE ADQUIRIR O CURSO COMPLETO POR APENAS

     

    de R$ 697,00 valor normal

     

    12 x de R$ 48,42

     

    Menos de R$2,00 por dia.

     

    São MAIS DE R$ 50.000,00 investidos em conhecimento pelo adestrador Alex

    TUDO ISSO entregue no curso para você por um preço acessível

     

    comprar curso agora

     

    garantia 7 dias

     

    O RISCO é TODO MEU, Até 7 DIAS depois do pagamento, você pode cancelar por qualquer motivo, e devolvemos todo o valor pago.

    ONDE EU RECEBO O CURSO?

    Logo após a confirmação da sua compra, você irá receber no seu E-mail os dados de acesso ao curso online.

    FICOU COM ALGUMA DÚVIDA EM RELAÇÃO AO CURSO ONLINE?

    Chame nos nossos WHATSAPP (51) 9 97613537 (vivo) | (51) 9 91519690 (claro)


    Título: Curso de Adestramento de Cães em Bataguassu Mato Grosso do Sul
    Criado em 28/05/2020 - Publicado em - Atualizado em 28/05/2020
    Centro Canino WalkerDog
    Centro Canino WalkerDog

    Conheça o Curso Banho e Tosa em Bataguassu MS

    Dados de Bataguassu - MS
    Area em km2= 2415
    Populacao = 19839
    PIB Per Capta = R$ 0

    HISTORIA
    Em 1900 Manuel Costa Lima (ou Major Toro, título de honra recebido por ser Major da guarda nacional, entregue por seu fiel amigo e associado), saiu de sua fazenda Ponte Nova para explorar sertão adentro rumo à fronteira com o Estado de São Paulo. Não conseguindo atingir o objetivo, organizou posteriormente uma segunda expedição partindo da mesma fazenda Ponte Nova no dia 9 de maio de 1900. Essa expedição atingiu as margens do rio Paraná na barra do Rio Pardo, onde foi fundado o distrito de Porto XV de Novembro. Em julho de 1904, o engenheiro agrimensor Emílio Rivasseau fazia o levantamento e a medição da estrada recentemente aberta por Manuel da Costa Lima. A estrada ligava o Arraial de Santo Antônio de Campo Grande ao Porto XV de Novembro, com uma distância de 54 léguas e 5.103 metros, cujas medidas constavam no Memorial descritivo assinado em agosto de 1904. Em seguida foi essa estrada recebida oficialmente pelo governador do Estado de Mato Grosso, através de seu representante, previamente designado, agrimensor José Paes de Faria. O objetivo da obra era a ligação do comércio com o Estado de São Paulo. Com essas providências, o sertanista Manuel da Costa Lima, já colocava o Porto XV de Novembro ao alcance de qualquer cidadão mato-grossense. Ao chegar no Porto XV de Novembro, Manuel da Costa Lima se depara com um novo impasse: Como atravessar os 2 km de rio? Não para as pessoas, que poderiam ser facilmente acomodadas em canoas e batelões, mas sim a travessia do gado, das boiadas, vacadas, tropas de burros, cavalos, entre outros. Sua capacidade, sua inteligência e suas forças eram agora seriamente desafiadas por esse vital problema. Chegou a conclusão de que teria que ser feita uma “balsa curral” grande, para transportar muitos animais de uma só vez. Para rebocar a balsa curral, seria necessário uma lancha grande, um vapor. Surge então outro impasse: Onde encontrá-los? Nesta época, não existia nesta região esse tipo de navegação. Mas como o problema exigia solução, Major Cecílio imediatamente seguiu para a cidade de Concepción, no Paraguai, onde vira, de outra feita, vapores que seriam adequados ao serviço. Compra do vapor paraguaio “Carmelita” No fim de 1904, efetuava-se em Concepción do Paraguai, a compra do vapor denominado “Carmelita”. Para essa compra, Major Cecílio levou uma boiada com 200 rezes, que foram vendidas no Paraguai. Com o produto da venda do gado, pagou o barco e mandou confeccionar, na mesma cidade, um carretão grande, ultra-resistente, além de quatro rodas, também super reforçadas com chapas de ferro. Em abril de 1905, o vapor Carmelita, depois de navegar pelo rio Paraguai acima, foi ancorar no rio Aquidauana, na foz do ribeirão Taquaruçu. No período entre a compra do vapor e a sua chegada à foz do ribeirão, Major Cecílio, volta à fazenda Ponte Nova para preparar a grande comitiva que o transportaria por via terrestre. Tomou emprestado alguns bois de carro, no total de duzentos, e também carros de bois e carretas, que foram convenientemente preparados para a viagem. Reuniu uns 20 peões carreiros. Abasteceu a comitiva de víveres, ferramentas e de diversos utensílios que lhe pudessem ser úteis naquela expedição. No dia aprazado, estava ele na barranca do rio Aquidauana para iniciar a etapa mais difícil de seu maravilhoso projeto. Tudo aquilo que ali estava no rio, barco a vapor e carretão, teria que ser posto ao seco, na terra firme. Eram toneladas a serem arrastadas para fora d’água. Não existia guindaste e nem sequer uma rampa apropriada. Dispunha somente da força física dos bois e, acima de tudo, da engenhosidade, da inteligência daquele sertanista intrépido. Retirado da embarcação, o carretão foi desmontado quase que totalmente. Retirou-se o mastro, a caldeira, chaminé, enfim, tudo o que dela fosse removível. Por fim, acomodados nos carros e nas carretas. Depois de muito tempo de trabalho árduo, foi o casco do navio içado do rio Aquidauana e colocado sobre o carretão. Começou então a caminhada rumo à serra e depois sucessivamente, “serra a cima serra a baixo”. Caminhada penosa, exigindo não só dedicação daqueles bravos trabalhadores, mas muito sacrifício. Aquele casco de vapor em cima do carretão era presa fácil do terreno mole, dos brejos e dos areais existentes na rústica estrada. A viagem decorria lenta e morosa. Quando aquele monstro de quatro rodas atolava no brejo ou na areia, havia que ser levantado com todo aquele peso em cima. De uma forma ou de outra o serviço era feito e, o foi por muitas e muitas vezes. Quando o pesado veículo era levantado, colocava-se madeira branca por baixo do mesmo, que muitas vezes também não resistia, atolando-se sob as toneladas de peso. Quando isso ocorria a operação era repetida, tantas vezes quantas se tornassem necessárias. Difícil era atravessar um brejo, onde a comitiva esteve cerca de 15 dias em um só acampamento. Vários problemas surgiram. Toda arrumação do carro era feita de correias torcidas; as tiradeiras, uma vez molhadas, com as constantes chuvas, apodreciam e partiam-se sendo substituídas por material novo, feito na hora. Nas subidas o freio era constituído de pedras ou pedaços de madeira resistente colocados atrás das rodas do pesado veículo. Para as descidas da serra, córregos e nos baixados, o gênio criativo do bandeirante entrou em ação, e o tipo de freio certo foi engenhado. Vinte e cinco juntas de 50 bois alinhados, puxando para a frente o carretão, e ligado no carretão na sua traseira, por uma “fieira” de 6 juntas de 12 bois. Ligado, ou arrastado por esta “fieira”, uma grande tora de madeira; esta e as 6 juntas de bois não permitiam que o carretão disparasse nas descidas ou ladeiras. E quando necessitasse parar o pesado veículo, bastava cercar pela frente a fieira de 6 juntas. Do ponto de partida, na margem esquerda do Rio Aquidauana, subindo e descendo a serra de Maracaju até o arraial, ou vila de Campo Grande, mais de sessenta dias foram gastos. Fundação[editar | editar código-fonte] Depois da abertura da estrada ligando Mato Grosso com São Paulo, em 1953, o checo Jan Antonín Bata funda a localidade de Bataguassu. Em 1932, Arthur Diederichen vendeu a Companhia de Viação São Paulo-Mato Grosso, incluindo terras, embarcações, pousos de boiada, armazéns, fazendas e direitos, a Jan Antonín Bata, o qual conservou a mesma denominação da Companhia. Jan Antonín Bata nasceu na localidade de Uherské Hradište, na antiga Checoslováquia, onde era denominado “O rei do calçado”. Naquele país foi um grande industrial. Seu pai era fundador das indústrias Bata, e Jan foi seu continuador, ampliando suas fábricas nos cinco continentes. Culto e viajado, dominava sete idiomas. Foi o homem mais importante de Zlim e um dos mais conceituados na Checoslováquia, preocupando-se com a educação, instrução e bem estar da comunidade, sendo o nome Bata em sua pátria sinônimo de energia, trabalho, cooperação e honra. Perseguido e injustiçado pelos seguidores de Hitler; exilou-se nos Estados Unidos, de onde veio para o Brasil. Em 1941 já havia instalado uma indústria de calçados em Batatuba, no Estado de São Paulo, primeira cidade que fundou no Brasil. Entre as terras que adquiriu de Arthur Diederichen, quando da compra da Companhia de Viação São Paulo - Mato Grosso, estavam os 70.000 hectares das fazendas Formosa e Limeira, às margens do Rio Pardo, onde decidiu criar uma cidade. Em 1942, no espigão divisor das águas dos córregos Guaçu e Sapé; não muito distante do Rio Pardo, escolheu o lugar onde seria edificada a cidade de Bataguassu. Além do planejamento urbano da cidade, fez também o mesmo com a zona rural, com pequenos lotes. Tanto os terrenos urbanos como os rurais eram vendidos a preços módicos, em suaves prestações, para despertar o interesse dos primeiros colonos. Construiu as primeiras casas destinadas aos operários e funcionários da Companhia, um armazém para fornecimento à população florescente e um pequeno templo católico, no centro de onde hoje se encontra a Praça Jan Antonin Bata. Nele colocadas lindas imagens importadas. Em 23 de agosto de 1965 morreu Jan Antonin Bata. Criação do cartório de paz e sede do Distrito de Ivinhema Montou inicialmente uma serraria, cuja caldeira fornecia iluminação elétrica para o povoado e movia o motor estacionário que abastecia a população de água. A seguir, começou uma olaria à margem do Rio Pardo, mais tarde transformada em cerâmica. Montou uma leiteria e mais tarde uma granja. Durante a segunda Guerra Mundial, apesar do trabalho relevante desenvolvido por Jan Antonin Bata, o Governo Federal retirou-lhe a concessão da navegação, encampando as ambarcações, os pousos de boiadas e mais uma área de terras em Porto XV de Novembro, incorporando tudo ao Serviço de Navegação da Bacia do Prata. As primeiras casas em Bataguassu foram construídas por Joaquim Simplício da Silva, Manuel Rocha e Durval Catão. Foram construídas pela Companhia de Viação São Paulo - Mato Grosso, de início, uma residência para o administrador, um escritório, um armazém, cerca de vinte casas para colonos e um hotel. Os primeiros habitantes da região, além de Manuel da Costa Lima e seus descendentes, foram Isaac Cardoso Lopes, na fazenda Sapé; Domício de Aragão Bulcão, no pouso Guassu; Felisberto Viana e Ambrósio Lemes na Fazenda Matinha. Em 12 de Maio de 1945, Bataguassu foi escolhida para a sede do então Distrito de Ivinhema, criado pela lei nº. 1805 de 17 de julho de 1930, na data foi criado o Cartório de Paz no Distrito de Ivinhema, o qual funcionou inicialmente na Fazenda Uerê, sendo o primeiro escrivão o Sr. José Francisco da Cruz. Posteriormente o cartório foi transferido para a sede da Fazenda Acampamento, sob a responsabilidade de Blak Paes Ferreira, o qual transferiu o cartório para a vila de Bataguassu. Emancipação[editar | editar código-fonte] Precariedade local Apesar da relativa melhoria urbana, na época as condições do local eram precárias, não havia nenhuma infraestrutura, existia apenas 30 casas de madeira no local com aproximadamente 200 habitantes e muito a ser desbravado. A energia elétrica era racionada, gerada através de um motor estacionário que funcionava das 18 às 22 horas. Um pequeno cômodo de madeira era usado como capela e a celebrações eram realizadas anualmente pelo sacerdote de Rio Brilhante, que se deslocava a cavalo até a vila. Foi Frei João Damasceno que rezou a primeira missa nesta capelinha de madeira entre os coqueiros da praça central (denominada Jan Antonín Bata), em 29 de Junho de 1948. Foi em 1 de Maio de 1954, que o capuchinho gaúcho, Frei Luís Maria de Tomás Flores, entrou em Bataguassu como primeiro vigário da paróquia. Já nesta época a festa religiosa em homenagem ao santo padroeiro, São João Batista, era realizada com as quermesses durante o mês de junho, a renda arrecadada era revertida para a construção da primeira igreja de alvenaria. A alfabetização das crianças era realizada em um salão de madeira de forma bastante precária, onde um professor dava aulas por conta da Companhia colonizadora. Só em 1953 foi edificado pela Companhia colonizadora o primeiro prédio para realizar a alfabetização das crianças do município. Com uma sala de aula, dois sanitários e alojamento para o professor Peri Barbosa Martins e Enio Martins, Tenente Nelson e amigos, preocupados com o desenvolvimento do local, conseguiram que o prédio fosse cedido para o Estado de Mato Grosso. No local foi então criada a Escola Rural Mista Coronel Pedro Celestino, que teve como primeira professora Maria da Conceição, exercendo o cargo até 1965. Mais tarde, após a emancipação do município, a escola rural foi renomeada como Escolas Reunidas Manuel da Costa Lima. Progresso, primeiro prefeito e instalação de Bataguassu Como importantes figuras dessa história, a Família Martins foi de grande significado para a história de Bataguassu. Nascido entre as cidades de Sidrolândia e Rio Brilhante, precisamente no município de Campo Grande, que na época compreendia o território onde hoje encontra-se Bataguassu. Enio Martins era descendente da família dos “Barbosa da Vacaria” e se destacava na política local. Em 1926, a família mudou-se para uma fazenda onde hoje está a cidade de Nova Andradina. A família Martins permaneceu no local até a vênda da Fazenda Baile, em 1952, quando no dia 8 de março do mesmo ano, a convite do tenente Nelson Verlangieri D’Oliveira (genro de Jan Antonin Bata), chegaram em Bataguassu. Em 1953 o governador do estado de Mato Grosso, Fernando Correia da Costa, a convite do tenente Nelson Verlangieri de Oliveira, Pery Martins e Enio Martins, visitou Bataguassu, quando inaugurou uma nova escola, a Escola Rural Mista Coronel Pedro Celestino, e assistiu a um desfile de máquinas agrícolas que o deixou bastante impressionado. Empolgado, o governador prometeu a emancipação política de Bataguassu. No dia 11 de Dezembro do mesmo ano assinou a Lei 683 que elevou a vila a sede de Município, o qual tinha as mesmas divisas do distrito de Ivinhema, abrangendo as terras que hoje formam os municípios de Bataguassu, Anaurilândia, Nova Andradina, Bataiporã e Taquarussu. A partir desta data foi nomeado Prefeito de Bataguassu, Ladislau Deák Filho. Apesar de Bataguassu ter sido fundada em 1953, a Ata da Sessão Especial de Instalação do Município e da Administração Municipal respectiva, bem como de compromisso e posse dos vereadores e de Instalação da Câmara Municipal e do primeiro prefeito eleito, foi em 19 de fevereiro de 1955, tendo com o primeiro prefeito eleito o Sr. Enio Martins e seu vice-prefeito o Sr. Domício de Aragão Bulcão, exercendo o cargo posteriormente por mais dois mandatos. Os primeiros vereadores eleitos foram os senhores Pery Barbosa Martins, Lázaro Severino da Silva, José Heitor de Almeida Camargo, Laucidio Ávila de Lima e Joaquim Silvério da Silva. Após a posse concedida pelo Dr. Silvio Borba Carrilho de Oliveira - DD. Juiz Eleitoral da 11ª zona eleitoral – foi feito a eleição para composição da Mesa Diretoria da Câmara Municipal, sendo eleito o primeiro presidente da Câmara Municipal o senhor Pery Barbosa Martins, vice-presidente o Sr. José Heitor de Almeida Camargo, 1º secretário o Sr. Lázaro Severino da Silva. A terra foi recebendo novos habitantes que mais tarde influenciariam em seus destinos, tais como, José Vicente Vitiritti, José Veríssimo do Amaral, Ailton Pinheiro Ferreira, Shiguetsugo Kawanami, Yataka Kasai, Francisco Machado de Sousa, Adonel Elias Barbosa, Arlindo Evaristo Bonfim, Odorilho Ferreira, José Francisco Xavier, Manuel Pereira de Sousa, José Alves Barroso , Vladimir Kubik EAnésio Alves da Silva. Pioneiro e colonizador do Município de Bataguassu, Vladimir Kubik atuou ao lado de Jan Antonín Bata na colonização de parte da região sudeste do Mato Grosso do Sul, que só foi possível graças à Companhia Viação São Paulo-Mato Grosso, da qual Antonin Bata era o proprietário e Kubik trabalhava como administrador. Junto com seu filho, Vladmir José Kubik, lançou um dos primeiros loteamentos imobiliário de Bataguassu. Em 1977 o município passa a fazer parte do atual estado de Mato Grosso do Sul. Nome e município de origem[editar | editar código-fonte] O nome faz referência às indústrias de calçado Bata, do checoslovaco Jan Antonin Bata, o rei dos calçados, o qual estabeleceu-se no Brasil em 1932 fugido do partido nazista. Antes de fundar Bataguassu, fundou a localidades de Batatuba (SP), em 1941, e dez anos depois (1963) fundaria Batayporã (MS).
    ECONOMIA
    Algumas informacões sobre a economia e população da cidade. A cidade de Bataguassu localizada no estado de Mato Grosso do Sul tem uma área de 2415.3 de quilometros quadrados. A população total de Bataguassu é de 19839 pessoas, sendo 10090 homens e 9749 mulheres. A população na área urbana de Bataguassu MS é de 15239pessoas, já a população da árae rual é de 4600 pessoas. A Densidade demográfica de Bataguassu MS é de 8.21. A densidade demegráfica é a medida expressada pela relação entre a população e a superfície do território, geralmente aplicada a seres humanos, mas também em outros seres vivos (comumente, animais). É geralmente expressada em habitantes por quilômetro quadrado. Veja mais no link a seguir Densidade Demográfica Wikipedia. Outra informação que temos sobre a população de Bataguassu MS é que 25.32% tem entre 0 e 14 anos de idade; 68.98% tem entre 15 e 64 anos de idade; e 5.7% tem acima de 64 anos de idade. Conforme os dados, a maior população da cidade de Bataguassu localizada no estado de Mato Grosso do Sul são as pessoas de 15 a 64 anos de idade, ou seja, existem mais adultos no município. Em termos de ecnomia isso é bom pois tem mais pessoas trabalhando e gerando riqueza para o país. Com Produto Interno Bruto de mais de 300 milhões de reais, Bataguassu se destaca na agropecuária. Setor primário[editar | editar código-fonte] Assentamentos Rurais O Município conta com cinco assentamentos rurais, que recebem o apoio do INCRA e do poder público municipal para infra-estrutura como: abastecimento de água, recuperação de estradas, saúde, educação, preparo da terra e comercialização dos produtos. Produção Animal (2007) Tipo Produção - Nº Estabelecimentos - Quantidade Bovinos - 632 - 197.103 cabeças Caprinos - 8 - 40 cabeças Ovinos - 86 - 2.175 cabeças Suínos - 201 - 5.904 cabeças Aves - 348 - 14.067 cabeças Leite de vaca - 452 - 7377 mil litros Ovos de galinha - 192 - 19 mil dúzias Setor secundário[editar | editar código-fonte] Indústria por ramo de atividade Atividades: Minerais não metálicos, Metalúrgica, Madeireira, Mobiliário, Indústria Química, Perfumaria, Sabões e Velas, Prod. Matérias Plásticas, Vest., Calç., Artef. Tecidos, Produtos Alimentícios (Frigorífico), Editorial e Gráfica, entre outros, Setor terciário[editar | editar código-fonte] O setor terciário é uma das principais atividades econômicas de Bataguassu e é composto por 222 estabelecimentos. Mercado de Trabalho Relação entre a população e o pessoal ocupado no emprego formal em 2005 População Economicamente Ativa (PEA): 7.816 Empregos Formais: 3.916 PEA Ocupada (%): 29,2
    TURISMO
    Eventos[editar | editar código-fonte] Carnaval de Rua de Bataguassu - Batafolia Data: Durante o carnaval Local: Parque da Juventude Fernando Barbosa da Silva Dia da Juventude Data: 31/03 Local: ocasional Quermesses Juninas da Igreja Católica Data: Durante o mês de junho Local: Paróquia São João Batista Festa de São Francisco de Assis Data: 25 de Setembro a 04 de 0utubro Salão Paroquial Jardim São Francisco Cavalgada – Tropa Guassu Data: Julho Local: Estradas rurais da região Batarodeio Data: Início do mês de agosto Local: Parque da Juventude Fernando Barbosa da Silva Festa de Nossa Senhora dos Navegantes Data: 15 de agosto Local: Distrito da Nova Porto XV Feira do Conhecimento Data: 4ª Semana de Setembro Local: Escola Estadual Peri Martins Show da Igualdade Racial e Concurso Miss Beleza Negra Data: Mês de Novembro Local: Avenida Porto XV de Novembro Atividades alusivas ao aniversário de Bataguassu / Show / Exposição Data: 11 de Dezembro Local: Ocasional[editar | editar código-fonte] Show da Virada - Reveillon Data: 31 de Dezembro Local: Centro de Eventos João Lemes _____________________________________________________________________________________________________________________________________ ESPORTE Futebol 1- Associação Atlética Bataguassuense é um Clube de Futebol Brasileiro do município de Bataguassu estado de Mato Grosso do Sul, fundado entre as décadas de 80 e 90, participou de vários Campeonatos Sulmatogrossense de Futebol. Suas cores: vermelho, verde e branco. Presidente: Luiz Martins da Silva (in memorian). (Sr. Luiz Martins da Silva articulador e líder esportivo de Bataguassu na década 80 e 90, mais conhecido como Luizinho, um homem simples e trabalhador que de uma forma honrosa se tornou exemplo para muitos esportistas do município. Por vários anos foi presidente da Associação Atlética Bataguassuense, se dedicou incansavelmente a sua equipe de futebol amador que participou de muitos campeonatos intermunicipais e interestaduais, elevando o nome de Bataguassu através do esporte. Foi um guerreiro, uma referência na área esportiva do município). 2- Associação Atlética Bataguassu é um Clube de Futebol Brasileiro do município de Bataguassu estado de Mato Grosso do Sul, fundado no ano de 2007 quando participou do Campeonato Sulmatogrossense de Futebol Profissional – Série B. Suas cores: são verde e vermelho. Presidente: Sebastião de Oliveira, popular: Taboca (in memorian). 3- Sporte Clube Corinthians de Bataguassu é um Clube de Futebol Brasileiro do município de Bataguassu estado de Mato Grosso do Sul, fundado no dia 14 de junho de 1991, filiado na Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul - FFMS e na Confederação Brasileira de Futebol – CBF, participou de Campeonatos Estaduais da 1ª Divisão do MS nos anos de 1999 (5º Colocado), 2000 (3º Colocado) e em 2002 (8º Colocado). Suas cores: preto e branco. Presidente: José Luiz de Araújo, popular Mazaropi. Fonte: Secretaria Municipal de esportes/Entrevista com Professor Antonio José Sobrinho em 16/02/2017. [nota 1] }} Referências ? a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008  ? IBGE acessodata=5 de dezembro de 2010 (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02)  !CS1 manut: Falta pipe (link) ? «Urbanização das cidades brasileiras». Embrapa Monitoramento por Satélite. Consultado em 30 de Julho de 2008  ? «Estimativa Populacional 2011» (PDF). Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2011. Consultado em 13 de setembro de 2011  ? «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008  ? «Indice GINI». Cidade Sat. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2000. Consultado em 6 de agosto de 2011  ? a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 16 de dezembro de 2009. Consultado em 4 de janeiro de 2009 

    Curso De Adestramento De Caes Bastos Sp

    Sobre Cursos EAD

    Com a chegada da banda larga em praticamente todo território nacional e o crédito fácil para a aquisição de computadores, houve também uma explosão na oferta de cursos de Educação a Distância (EaD), nos últimos anos.

    Porém, como se trata de um fenômeno relativamente novo, muita gente deixa de optar pela modalidade por pura falta de informação. Assim, acaba perdendo uma boa oportunidade de se graduar por uma instituição reconhecida no mercado.

    O diploma de um curso em EaD tem o mesmo valor dos presenciais. Inclusive, esse detalhe não vem especificado no documento. Os cursos são de excelência e, na maioria das vezes, procurados por pessoas que moram longe das boas instituições ou por quem já está no mercado de trabalho- — esclarece Pablo Cabral, tutor de Tecnologia dos Sistema da Computação, do Consórcio de Educação a Distância do Rio de Janeiro (Cederj).